Emoção marca a cerimônia de homenagem a ex-dirigentes da Ponte Preta

Aproveitando os 71 anos de fundação do Majestoso, diretoria homenageou os ex-dirigentes da Macaca

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 12 (AFI) – Uma cerimônia repleta de emoção, principalmente dos homenageados, marcou o evento promovido pela Ponte Preta, quarta-feira à noite no Salão Nobre para comemorar os 71 anos de fundação do estádio Moisés Lucarelli, o Majestoso. Foram descerradas placas com todos os presidentes de conselho deliberativo e de todos os presidentes ao longo da história do clube de futebol mais velho do Brasil.

O momento mais emocionante foi quando os seis presidentes vivos foram homenageados, com um cartão de prata, além de uma camisa personalidade com seus nomes e colocados num moldura de vidro.

A ideia inicial era reunir oito ex-presidentes mais o atual, José Armando Abdalla, mas no total compareceram seis. Estiveram presentes Marcos Garcia Costa, Marco Chedid, Peri Chaib, Nivaldo Baldo, Márcio Della Volpe e o próprio Abdalla.

Alegria e emoção de ex-presidentes no Majestoso
Alegria e emoção de ex-presidentes no Majestoso

OS AUSENTES
A ausência de Lauro Moraes Filho, que é o mais velho vivo com 85 anos, se deveu a seu estado de saúde. Ele se recupera de um AVC – Acidente Vascular Cerebral. Problemas pessoais também impediram a ida de Vanderlei Pereira, que teria sido recebido o convite apenas na terça-feira, impossibilitando se programar para ir ao evento.

A presença de Sérgio Carnielli também era muito aguardada por cerca de 150 pessoas presentes à cerimônia. Ele, porém, não pode comparecer por já ter assumido um compromisso particular.
Além disso, teria recebido seu convite oficial somente na manhã de quarta-feira, ou seja, muito próximo ao evento.

OS PRESENTES
Cada ex-presidente teve o microfone para falar algumas palavras. Marcos Garcia Costa lembrou a sua longa história no clube, algo que herdou da família. Márcio Della Volpe aproveitou para lembrar o fato e que Moisés Lucarelli teria sido injustiçado no passado, depois de tantos serviços prestados. E o comparou à sua própria passagem por quatro anos no clube.

Abdalla (á esquerda), Peri Chaib (centro) e Chedid
Abdalla (á esquerda), Peri Chaib (centro) e Chedid

Nivaldo Baldo e emocionou ao lembrar do pai, Nino Baldo, com “quem aprendi a amar este clube”. Peri Chaib foi mais simples, agradecendo a homenagem e pregando a união em torno do clube.

Marco Chedid, que chegou atrasado por questões profissionais, também se emocionou. Lembrou que seu pai – o falecido dirigente e político Nabi Abi Chedid - era sócio vitalício da Ponte Preta desde 1970. “Meu pai já dizia: filho, a Ponte Preta é um clube que vai brilhar na história do futebol brasileiro”.

AGRADECIMENTOS
Abdalla agradeceu a presença de todos e pregou o respeito a todos ex-dirigentes do clube. Erick Silveira, diretor de marketing e organizador do evento, elogiou o trabalho da atual diretoria e agradeceu alguns membros presentes.


DOIS PAINÉIS
Foram descerrados dois painéis no Salão Nobre. De um lado, com a relação de todos os presidentes do conselho deliberativo. A placa foi descerrada pelo atual presidente do conselho Tagino Santos e Pedro Politano, que por comandou o conselho em várias oportunidades.

“Estou realmente emocionado. Nunca imaginei se homenageado pela Ponte Preta, mesmo porque tudo que fiz foi por amor e carinho à Ponte Preta - disse Politano, visivelmente emocionado e com lágrimas nos olhos.

Do outro lado do Salão Nobre ficou o painel com todos os 56 presidentes do clube que completou 119 anos no dia 11 de agosto. Ele foi descerrado por Armando Abdala, atual presidente, e Peri Chaib, o ex-presidente mais velho presente ao evento que reuniu conselheiros, diretores e convidados.