Série B: Jorginho pede mais quatro reforços para o setor ofensivo da Ponte Preta

Treinador afirma ter apenas 20 jogadores à disposição no elenco e que para jogar até novembro precisa de mais atletas

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 12 (AFI) - Após sete saídas e apenas uma chegada na parada da Copa América, a Ponte Preta segue no mercado em busca de reforços. O setor ofensivo é a prioridade do técnico Jorginho e do gerente de futebol Gustavo Bueno.

"Esperamos um meia-atacante, dois jogadores de lado e um atacante de ofício, mas que também tenha uma boa movimentação. Isso seria o ideal, pois o campeonato é longo. Tenho certeza que a diretoria vai fazer o melhor para que a gente possa ter de duas a quatro contratações nos próximos dias", comentou o comandante da Alvinegra.

Jorginho ainda completa: "Pensando num Campeonato Brasileiro longo, vamos jogar até novembro. No atual elenco, tenho, à disposição, 20 atletas de linha e dois lesionados, o Zanocelo e o Longuine".

Na sua última coletiva, Gustavo Bueno ressaltou que as dificuldades financeiras atrapalham a Macaca, mas que o nomes que caibam no orçamento serão analisados.

Jorginho quer reforços para o ataque. (Foto:Álvaro Jr/PontePress)
Jorginho quer reforços para o ataque. (Foto:Álvaro Jr/PontePress)
"O principal objetivo que era a readequação financeira, nós já conseguimos fazer com essas saídas. Todo jogador de qualidade que possa nos ajudar no nosso objetivo, vamos negociar. ainda não encerramos as contratações, mas serão pontuais", explicou.

SAÍDAS E CHEGADAS

O pedido por reforços não tem nada a ver com os jogadores que deixaram o clube. As últimas perdas do elenco são de atletas que não faziam mais parte dos planos. São eles os laterais Luis Ricardo e Giovanni, o volante Nathan, o meia-atacante Matheus Oliveira e os atacantes Dudu, Marlyson e Facundo Batista.

Por outro lado, a única contratação foi o atacante João Carlos, ainda não regularizado na CBF. Assim, ele fica fora da partida desta sexta-feira, às 21h30, contra o Oeste, no Moisés Lucarelli.

"Converso bastante com a diretoria. Lamento muito não poder contar com o João Carlos. Ele já chegou há mais de 20 dias e dependíamos de uma liberação do Fluminense", lamentou o técnico.