Técnico da Ponte Preta lamenta morte de Thalles: "Tinha como um filho"

Jorginho trabalhou com o atacante no Vasco da Gama e na Ponte Preta

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 24 (AFI) - Presente no enterro de Thalles no último domingo, no Cemitério Parque Niterói, em São Gonçalo, Jorginho não escondeu a emoção em se despedir do atacante que o considerava como um filho. Os dois trabalharam juntos no Vasco da Gama e agora na Ponte Preta.

"Eu tinha o Thalles como um filho. Várias vezes conversei com ele sobre uma série de razões, sempre procurei fazê-lo pensar no futuro. Mas a morte não tem idade. É um momento dolorido, que mostra o quanto é importante a gente amar as pessoas que estão ao nosso lado", disse o treinador da Macaca.

O atacante Thalles faleceu na manhã do último sábado ao se envolver em um acidente de moto
O atacante Thalles faleceu na manhã do último sábado ao se envolver em um acidente de moto
A primeira vez que os dois trabalharam juntos foi no Vasco da Gama entre 2015 e 2016, quando Thalles viveu um dos melhores momentos da sua carreira. Três anos depois, eles voltaram a se encontrar na Ponte Preta, onde o atacante não vivia um bom momento, tanto que estava para ser negociado com o Sport.

"Eu falo com os jogadores que eles precisam pensar no futuro, aproveitar a oportunidade. Eu não quero ser um treinador apenas em campo, quero impactar o coração do atleta, fazê-lo pensar na família. Todas as nossas decisões precisam ser muito bem pensadas", finalizou Jorginho.

Em clima de luto, o elenco pontepretano vai se reapresentar na tarde desta segunda-feira após receber alguns dias de folga por conta da paralisação para a Copa América. A Macaca volta a campo apenas no dia 12 de julho, contra o Oeste, no Moisés Lucarelli, pela nona rodada da Série B.