Copa do Brasil: Ponte alega interferência externa e vai ao STJD pedir anulação do jogo

A Macaca soltou um comunicado oficial em seu site na manhã desta quarta-feira anunciando a decisão

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 13 (AFI) - Como já era esperado, a classificação da Aparecidense para a segunda fase da Copa do Brasil vai ser decidida na Justiça. Na manhã desta quarta-feira, a Ponte Preta soltou um comunicado em seu site oficial anunciando que vai ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pedir a anulação do jogo realizado na última terça, em Aparecida de Goiânia.

"A Copa do Brasil é apontada como a competição mais democrática do país, mas as regras precisam ser seguidas. Ninguém está discutindo o impedimento em si e sim interferência do delegado da partida. Tivemos algo similar na final do Paulista e temos a convicção que fomos prejudicados ontem. Estamos pedindo a anulação em respeito ao clube e ao torcedor, em busca de uma moralização,. O delegado não tinha esse direito", comentou o executivo de futebol Marcelo Barbarotti.

Ponte alega que delegado da partida Adalberto Grecco (de paletó) influenciou na decisão do trio de arbitragem
Ponte alega que delegado da partida Adalberto Grecco (de paletó) influenciou na decisão do trio de arbitragem
A Ponte Preta alega interferência externa do delegado da partida Adalberto Grecco, que é goiano, na anulação do gol de Hugo Cabral aos 44 minutos do segundo tempo. Através de imagens da Sportv, fica claro que Grecco se dirige ao bandeirinha Samuel Oliveira da Costa e, com a mão na boca, comenta algo sobre o lance. Na sequência, o auxiliar fala com o árbitro Léo Simão Holanda, que volta atrás de assinala impedimento.

O gol de empate garantiria a classificação da Ponte Preta para a segunda fase da Copa do Brasil, além de uma premiação de R$ 625 mil. Apesar da atitude tomada pela diretoria, as chances do STJD anular a partida são consideradas mínimas, já que o trio de arbitragem cearense e o delegado da partida precisariam confirmar que houve interferência externa.

O QUE ACONTECEU!
Aos 44 minutos do segundo tempo, em posição irregular, Hugo Cabral ficou com o rebote após chute de Thalles acertar a trave e completou para o gol. O bandeirinha Samuel Oliveira da Costa correu para o centro do gramado, assim como o árbitro Léo Simão Holanda.

Exaltados, jogadores e membros da comissão técnica do Aparecidense cercaram o bandeirinha reclamando de impedimento. Após muita confusão, inclusive com a presença da polícia, o árbitro voltou atrás e anulou o gol da Ponte Preta, garantindo assim a classificação da Aparecidense para a segunda fase.

 
 
" />