Ponte considera pedir jogadores como solução para abater dívida do Santos

Clube santista pagou apenas uma parcela das três combinadas para contratar o atacante

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 03 (AFI) - Ainda no aguardo pelo pagamento da segunda parcela pela venda de Felippe Cardoso, a Ponte Preta busca uma solução amigável antes de acionar o Santos judicialmente. Em comunicado oficial divulgado nesta segunda-feira, o clube explicou que uma das alternativas é pedir reforços ao clube do litoral em troca do abatimento da dívida.

A nota não fala em nomes, mas diz que a Macaca tem interesse em ‘alguns jogadores do time santista para o elenco de 2019’. Recentemente, o lateral-direito Matheus Ribeiro, que estava emprestado ao Figueirense e pertence ao Peixe, foi especulado no time campineiro.

Caso o pedido por jogadores não seja aceito, o imbróglio terá que ser solucionado de outra maneira. Conforme previsto pelo contrato, se o Santos deixar alguma das parcelas em branco, a Ponte Preta tem o direito de retomar parte dos direitos econômicos do atleta, com porcentagem proporcional ao valor da dívida. Por enquanto, entrar na Jusitça para cobrar o valor é a última opção.

Até o momento, a diretoria santista cumpriu apenas a primeira parte do acordo, ao realizar o pagamento de R$ 2,2 milhões de entrada. Restam, no entanto, duas parcelas de R$ 400 mil. A primeira, justamente a que está sendo cobrada pelos pontepretanos, deveria ter sido acertada em novembro. A segunda vence em janeiro.

PROBLEMAS MÉDICOS
Felippe Cardoso começou nas categorias de base do Osvaldo Cruz e disputou o Campeonato Paulista da Segunda Divisão, chamando a atenção da Ponte Preta. Chegou a Campinas para jogar no time Sub-20, mas aos poucos passou a treinar com o time profissional e encontrou uma oportunidade. Fez 22 jogos com o time e marcou quatro gols.

Foto: Ivan Storti / Santos FC
Foto: Ivan Storti / Santos FC
Acabou diagnosticado com uma pubalgia e foi afastado do time. Ainda assim, o Santos apostou na sua contratação graças a uma indicação do técnico Cuca. Em entrevista dada em novembro, o médio ortopedista Carlo Alba, que havia acabado de pedir demissão do Peixe, criticou duramente a contratação do atacante.

CONFIRA A NOTA OFICIAL DA PONTE PRETA:

Sempre primando pela transparência, a Diretoria Executiva da Ponte Preta vem a público esclarecer informações em relação aos pagamentos realizados pelo Santos Futebol Clube na negociação do atleta. O jogador foi vendido ao time do litoral por um total de três milhões de reais, sendo R$ 2,2 milhões de entrada e duas parcelas de 400 mil (uma vincenda em novembro e outra, em janeiro).

A entrada foi paga, contudo a primeira das duas parcelas restantes não foi efetivada. Caso o Santos não pagasse uma delas, de acordo com o que foi estabelecido contratualmente, ambas seriam consideradas automaticamente vencidas e não pagas e a Ponte Preta poderia então optar entre cobrar a dívida ou ficar com a porcentagem proporcional do atleta.

A diretoria pontepretana irá analisar qual caminho seguirá, levando em consideração a boa relação que tem com o Santos FC e o fato de termos interesse em alguns jogadores do time santista para o elenco de 2019. Contudo cabe ressaltar que contratualmente a Ponte Preta está segura do retorno, uma vez que tem garantida a porcentagem proporcional de Felippe Cardoso, e por enquanto não tem intenção de acionar judicialmente o Santos.

 
 
" />