Diretoria da Ponte Preta se pronuncia sobre ‘possibilidade de tapetão’

Possível irregularidade de atleta do Goiás chegou até os diretores da Macaca, que irão analisar o caso

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 03 (AFI) – Pouco tempo depois das informações levantadas pelo jornalista Pedro Orioli, repórter da Rádio Central AM Campinas, de que o Goiás teria inscrito um jogador irregular no Brasileiro Série B, a diretoria da Ponte Preta se pronunciou sobre o caso. Uma punição ao Goiás poderia favorecer o time campineiro, que terminou a competição na quinta colocação, a uma do acesso.

Confira a nota da Ponte Preta na íntegra:

“A Ponte Preta informa que foi pega de surpresa em relação à notícia divulgada nesta tarde pela imprensa sobre uma suposta irregularidade de um atleta do Goíás. A Macaca está buscando informações e documentos a respeito para se embasar melhor e verificar, primeiramente, a veracidade da informação e - em seguida - definir os próximos passos e quais medidas serão tomadas. Assim que isso ocorrer, o Departamento Jurídico irá se pronunciar a respeito do caso”

(Foto: Rosiron Rodrigues / Goiás E.C)
(Foto: Rosiron Rodrigues / Goiás E.C)

ENTENDA O CASO
O lateral esquerdo Ernandes Dias Luz, de São Félix do Araguaia, no Mato Grosso, teria falsificado sua certidão de nascimento. Com isso o time de Goiânia pode perder o acesso à Série A, entregando a vaga para Ponte Preta.

Segundo as informações detalhadas pelo jornalista, Ernandes nasceu no dia 11 de novembro de 1985 e tem sua certidão autenticada em São Félix do Araguaia, no Mato Grosso – documento confirmado pelo 2º Cartório da cidade. Mas há também outra certidão de nascimento do dia 11 de novembro de 1987 e que foi usada pelo jogador como original.

No Boletim Informativo Diário (BID) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ernandes Dias Luz nasceu no dia 11 de novembro de 1987, ou seja, como consta no segundo documento – que ainda não teve constatada sua originalidade. Se a certidão de nascimento foi realmente falsificada, tanto o jogador, quanto o clube podem ser punidos pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) como prevê o Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD).

A infração está descrita no Artigo 214, que diz: “incluir na equipe, ou fazer constar da súmula ou documento equivalente, atleta em situação irregular para participar de partida, prova ou equivalente”. A punição é prevista é a “perda do número máximo de pontos atribuídos a uma vitória no regulamento da competição, independentemente do resultado da partida, prova ou equivalente, e multa de R$ 100,00 (cem reais) a R$ 100.000,00 (cem mil reais)”.

O primeiro parágrafo do artigo completa: “para os fins deste artigo, não serão computados os pontos eventualmente obtidos pelo infrator”, ou seja, se for condenado, o clube pode perder todos os pontos conquistados com Ernandes em campo – ele jogou 31 jogos na Série B. Para que o processo seja aberto algum time rival precisa denunciar os goianos ou então a Promotoria do STJD precisa entender que há infração e ela mesma abre o processo contra o Goiás.

INTERESSA
Dois clubes estão interessados na possível infração do Goiás. Quinta colocada na Série B, a Ponte Preta fechou o ano empatada em números de pontos com o clube goiano, quarto colocado, mas atrás pelo número de vitórias: 18, contra 16. Por isso, caso seja realmente punido pelo STJD, o time de Campinas poderia comemorar o acesso tardio para a primeira divisão, mesmo que saia dos tribunais.

Outro que acompanha distante as denúncias do repórter Pedro Orioli é o Paysandu, que fechou a Série B na 17ª posição, com 43. Se o Goiás perder os pontos disputados com Ernandes em campo cairia direto para a zona de rebaixamento, salvando o clube paraense de disputar a Série C em 2019. As possibilidades ainda são remotas e depende de uma análise da promotoria do STJD.

 
 
" />