Nino Paraíba e Elton entram na Justiça contra a Ponte Preta

Antes, o zagueiro Fábio Ferreira, os laterais Fernandinho e João Lucas, e os volantes Naldo e Jean Patrick cobraram a Macaca

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 06 (AFI) - Não há nada tão ruim que não possa piorar. Esse ditado popular serve muito bem para a Ponte Preta. Além do iminente risco de rebaixamento no Campeonato Paulista, a Macaca tem que conviver com ações trabalhistas de jogadores que fizeram parte do elenco no ano passado. Agora foi a vez do lateral Nino Paraíba e do volante Elton acionarem a Justiça.

Os dois estão defendendo atualmente o Bahia e são representados pelos advogados Filipe Rino e Thiago Rino. Nino Paraíba cobra R$ 350 mil e Elton R$ 200 mil por salários atrasados, direitos de imagem, Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), férias e multa por não terem recebido o acerto trabalhista após o término do contrato.

O lateral-direito Nino Paraíba cobra R$ 350 mil da Ponte Preta na Justiça
O lateral-direito Nino Paraíba cobra R$ 350 mil da Ponte Preta na Justiça
"Lamentamos essa fase de um clube tradicional como a Ponte Preta. Tenho certeza que vai superar essas adversidades, mas temos que buscar os direitos dos atletas, que são nosso foco de trabalho e atuação", disse Thiago Rino.

Antes de Nino Paraíba e Elton, outros cinco jogadores - todos representados por Filipe Rino e Thiago Rino - acionaram a Justiça contra a Ponte Preta: o zagueiro Fábio Ferreira, os laterais Fernandinho e João Lucas, e os volantes Naldo e Jean Patrick. Os valores cobrados por todos eles somados chega a R$ 3.457.068,00.

TUDO EM DIA
Na semana passada, depois de comparecer ao treinamento para cobrar e passar confiança aos jogadores, o presidente José Armando Abdalla falou com a imprensa e ao ser questionado sobre a situação financeira disse que todos os pagamentos estavam em dia nesta temporada.

Apesar das contas estarem em dia, o futebol apresentado tem deixado muito a desejar, tanto que a Ponte Preta não ganha há seis jogos no Paulistão e ocupa apenas a terceira colocação do Grupo B, além de ter a terceira pior campanha no geral com dez pontos, na frente apenas de Linense (6) e Santo André (8).

A Macaca volta a campo na quinta-feira, quando enfrenta o Red Bull Brasil, no Estádio Moisés Lucarelli. O mando de campo é do Toro Loko. Na última rodada, no próximo final de semana, a Ponte encara a Ferroviária, também em Campinas.

 
 
" />