Além de Eduardo Baptista, Ponte Preta confirma saída de Gustavo Bueno

Na Macaca desde 2014, o dirigente foi apontado como um dos principais responsáveis pelo rebaixamento no Brasileirão de 2017

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 09 (AFI) - A sexta-feira está sendo bastante agitada no Moisés Lucarelli e Eduardo Baptista não foi o único foi dispensado. Além do treinador, a Ponte Preta também confirmou nesta tarde a saída do gerente de futebol Gustavo Bueno. Os dois eram os principais alvos das críticas dos torcedores alvinegros desde o rebaixamento no Campeonato Brasileiro do ano passado.

Filho de Dicá, maior ídolo da história do clube campineiro, Gustavo Bueno chegou a Ponte Preta no início de 2014 depois de realizar um bom trabalho no Sport. Logo em seu primeiro ano, conquistou o acesso à elite do Brasileirão como vice da Série B. Depois, fez boas campanhas nos dois anos anteriores, sendo que em 2016 teve o melhor aproveitamento na história dos pontos corridos.

Alvo da torcida, o gerente de futebol Gustavo Bueno deixou a Ponte Preta nesta sexta-feira
Alvo da torcida, o gerente de futebol Gustavo Bueno deixou a Ponte Preta nesta sexta-feira
No ano passado, após um início otimista com o vice no Paulistão, a Ponte Preta perdeu peças importantes e não conseguiu repor à altura, além de contratar medalhões que deixaram a desejar, como o zagueiro Rodrigo, o meia Renato Cajá e o atacante Emerson Sheik. Tudo isso culminou com o rebaixamento para a Série B do Brasileiro, mesmo sendo o ano em que a Macaca mais arrecadou com patrocínios em toda sua história.

EXPLICAÇÃO
Em entrevista coletiva concedida no Centro de Treinamento do Jardim Eulina na tarde desta sexta-feira, onde comunicaram os jogadores das saídas de Eduardo Baptista e Gustavo Bueno, o presidente José Armando Abdalla e o diretor de futebol Ronaldão explicaram a decisão que foi tomada após uma longa reunião realizada no Moisés Lucarelli desde a manhã desta sexta.

"São grandes profissionais, nossos amigos também, mas isso foi uma decisão conjunta de toda a diretoria da Ponte Preta. Houve um desgaste natural por causa da campanha realizada no Paulistão em todos os sentindos e para preservar todo mundo, inclusive os jogadores que estão aqui, foi tomada essa decisão", afirmou o presidente José Armando Abdalla.

Sem chances de classificação às quartas de final com apenas 14 pontos, a Ponte Preta precisa de pelo menos um empate contra a Ferroviária neste domingo, às 17 horas, no Moisés Lucarelli, pela última rodada, para não depender de outros resultados na luta contra o rebaixamento. A permanência na elite pode vim até mesmo com uma derrota desde que Linense e Santo André tropecem.

 
 
" />