Paulistão: Após rescisão, Aranha cobra R$ 5 milhões da Ponte na justiça

O gerente de futebol Ronaldão confessou que a Ponte Preta não tinha condições de arcar com os valores do contrato do goleiro

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 06 (AFI) – Aranha seguiu o caminho natural e entrou na justiça contra a Ponte Preta para cobrar R$ 5 milhões da rescisão unilateral anunciada pela diretoria na última semana. Esta é a sexta ação trabalhista movida contra o clube. Os laterais Fernandinho e João Lucas, o zagueiro Fábio Ferreira e os volantes Jean Patrick e Naldo cobram, juntos, outros R$ 2,9 milhões. A Macaca deixou todos os casos na mão do Departamento Jurídico.

João Henrique Chiminazzo, advogado de Aranha, confirmou o processo, que se refere a salários e direitos de imagem, que ele teria a receber até o final do contrato em 2019, além de luvas atrasadas. O goleiro terminou a última temporada muito criticado pelo rebaixamento à Série B e começou 2018 no banco de reservas, pouco aproveitado pelo técnico Eduardo Baptista.

Aranha cobra R$ 5 milhões da Ponte na justiça após rescisão unilateral
Aranha cobra R$ 5 milhões da Ponte na justiça após rescisão unilateral
Por outro lado, o gerente de futebol Ronaldão confessou que a Ponte Preta não tinha condições de arcar com os valores do contrato de Aranha. O rebaixamento arrombou os cofres do clube. De acordo com as recentes entrevistas do diretor financeiro Gustavo Valio, a Macaca tentou antecipar as cotas de televisão para quitar os vencimentos com o elenco, mas a ameaça da Série B complicou os planos.

No final do último ano o presidente de honra Sérgio Canielli precisou ajudar a Ponte Preta, quitando os décimos terceiros. Com o rebaixamento, as cotas de TV caíram de aproximadamente R$ 34 milhões para apenas R$ 7,5 milhões. Só as seis ações já em curso na justiça trabalhista praticamente quitam este valor.

 
 
" />