Terremoto no Chile atrasa apresentação de reforço na Ponte Preta

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 01 (AFI) - O torcedor da Ponte Preta pode levar um bom tempo para conhecer um dos principais reforço do clube para a temporada 2010. Por conta do terremoto que assolou o Chile, o meia chileno Renato Gonzalez poderá ter sua apresentação oficial atrasada por mais alguns dias. “Todos ainda estão com muito medo. No momento do terremoto estava na casa de meu pai e o tremor foi muito grande, os móveis e objetos caiam, um muro da casa desabou. Felizmente aqui estão todos bem, mas o país sofreu muito”, contou.



Veja ainda:
Cartola promete protesto se Rio Branco continuar "sem-teto"

O jogador relembrou os momentos de terror vividos por ele e pelo povo chileno no sábado, quando o país foi atingido pelo terremoto de 8,8 graus na escala Ritcher, que deixou mais de 400 mortos e destruiu 1,5 milhão de edificações.

O meia continua hospedado na casa dos pais, em Santiago, e conta que neste momento os chilenos vivem um momento de esforço para reconstruírem o estrago causado pelo abalo sísmico, mas ainda há muito para ser feito.“Aqui em Santiago já foi reestabelecido o sistema de água, mas ainda não há energia elétrica, por exemplo”, revelou.



O agente de Renato, o ex-jogador uruguaio Washington Castro, ressalta que o susto foi “demasiado grande.” “A nós não aconteceu nada – tanto eu e minha família, quanto Renato, família e amigos estão bem -, mas o país está muito mal. Foi um dos cinco maiores terremotos sofridos na história da humanidade e para quem está aqui foi um inferno, do qual estamos começando a nos recuperar, mas ainda muito nervosos e tristes”, afirmou.



Washington Castro conta que todos os trâmites legais ara a vinda de Renato já foram efetivados e que o visto de trabalho do jogador já está liberado pelo Consulado Brasileiro. No entanto, em virtude do terremoto e dos estragos provocados por todo o país, a vinda do meia deve atrasar em alguns dias. “Os reparos nos aeroportos já estão sendo realizados e eles deverão ser reabertos em breve, mas acredito que ainda levará três ou quatro dias antes que consigamos deixar o Chile rumo a Campinas”, disse.



O próprio Renato se confessa ansioso para começar a jogar pela Ponte. “É claro que estou triste por tudo o que está ocorrendo em meu país, mas como um jogador de futebol profissional confesso que mal posso esperar para vestir a camisa da Ponte Preta. E quero agradecer muito a todos os brasileiros pela preocupação que estão tendo pelo povo chileno”, concluiu.