Ronaldinho Gaúcho fala sobre falecimento da mãe, vítima da covid-19

Ela estava internada desde novembro, mas acabou não resistindo às complicações

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 23 (AFI) - Ronaldinho Gaúcho falou pela primeira vez publicamente sobre a morte de sua mãe, Dona Miguelina, mais uma vítima da covid-19. O sepultamento, que não contou com a presença do astro, foi realizado no último domingo, em Porto Alegre. Ela tinha 71 anos.

"Eu e minha família agradecemos a todos vocês o carinho e apoio que estamos recebendo momento tão difícil. Minha mãe foi inspiração de força e alegria para todos que a conheceram e vai continuar exercendo sua luz em nossas vidas para sempre. Com a garra que ela nos ensinou, vamos continuar nossa caminhada. Obrigado" afirmou o atleta, através das redes sociais.

APOIO!
Nas redes, o craque recebeu inúmeras mensagens de carinho, dentre elas, a do ex-presidente do Galo, e atual prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kallil. "Ronaldinho, meu filho, eu sei o que é perder uma mãe. Meus sentimentos nesse momento tão difícil", escreveu.

Ronaldinho com sua mãe
Ronaldinho com sua mãe

Foi Kalil quem levou Ronaldinho Gaúcho ao Galo. Em 2012, a torcida do Atlético estendeu uma faixa com os dizeres "Fé em Deus". Na época, o ex-meia havia revelado que a mãe estava com câncer. Ela se curou e 2013 e recebeu os aplausos da torcida alvinegro em um clássico contra o Cruzeiro.

"A Família Atleticana está de luto e compartilha com seu ídolo o momento de dor. Que Deus a receba de braços abertos e conforte o coração do nosso eterno craque. Descanse em paz, Dona Miguelina", postou o Atlético-MG, onde Ronaldinho Gaúcho foi campeão da Libertadores e do Mineiro em 2013 e da Recopa em 2014.

GREMIO VAI COM RESERVAS PARA BRAGANÇA PAULISTA