'Maradona foi o melhor Pelé de todos os tempos', afirma escritor brasileiro

Acidentada carreira do argentino, marcada por sucessos superlativos assim como fracassos notórios, sempre rendeu observações irônicas

por Agência Estado

Campinas, SP, 26 (AFI) - "Maradona foi o melhor Pelé de todos os tempos". A definição partiu do escritor Luis Fernando Verissimo, profundo conhecedor do futebol, torcedor fanático do Internacional e que acompanhou pessoalmente a atuação de diversos craques desde a Copa do Mundo de 1986, a do México, justamente aquela que consagrou o astro argentino.

Verissimo se recupera de uma cirurgia em um hospital, em Porto Alegre - nada grave, mas o suficiente para deixá-lo em repouso por mais alguns dias. Mesmo assim, foi rápido na resposta ao ser questionado pelo Estadão sobre a morte de Maradona. Afinal, a acidentada carreira do argentino, marcada por sucessos superlativos assim como fracassos notórios, sempre rendeu observações irônicas do colunista do Na Quarentena.

Como o famoso gol feito contra a Inglaterra, ainda no México - não aquele em que driblou quase todo time inglês, mas o feito com a "mão de Deus". Segundo Verissimo, Maradona só se arrependeria da irregularidade caso quisesse ganhar, a todo custo, o troféu "Antes Tarde que Nunca". "O que está feito, bem ou mal, está feito.

Maradona melhor que Pelé? (Foto: Divulgação)
Maradona melhor que Pelé? (Foto: Divulgação)
Volver é nome de tango", decretou o próprio Maradona, em uma conversa imaginária com Thierry Henry, autor também de um gol de mão, que classificou a França para a Copa do Mundo da África do Sul, em 2010.

PENSAMENTO!
Foi nesse Mundial, aliás, que Maradona, como técnico da Argentina, teve uma pífia atuação, o que levou Verissimo a raciocinar: "Acho que o fracasso do Maradona só prova uma velha máxima do futebol, a de que atacantes não dão bons técnicos", analisou.

"Telê, Zagallo, Evaristo, Ênio Andrade, Didi e outras aparentes exceções à máxima na verdade eram armadores ou falsos atacantes. Como ele foi, notoriamente, o atacante mais bem-sucedido da sua época, é natural que o fracasso do Maradona como técnico também seja notório".

O segredo do sucesso do jogador Diego Armando era, segundo Verissimo, o mesmo de gente como Romário e Messi: ser baixinho.

"Quem ainda pensa que há um tamanho ideal para jogador de futebol pode se refugiar na frase: ‘Futebol é para quem tem no mínimo 1 metro e 75 - salvo exceções’", cravou ele, em uma coluna publicada no Estadão em 2011.


E O PELÉ?
Mas o famoso duelo entre Pelé e Maradona sobre quem é o verdadeiro rei do futebol inspirou diversas crônicas de Verissimo, autor de teses interessantes sobre, por exemplo, a maneira como os dois eram vistos quando jogavam. Segundo o cronista, Pelé apareceu antes da TV, ou junto com ela, e boa parte da sua carreira - segundo alguns, a melhor parte - foi em preto e branco.

"Já Maradona é um personagem da TV a cores", observou Verissimo, em 2000. "Ninguém tem uma lembrança cinzenta ou desbotada de Maradona como tem de Pelé. Foi por isso que, na escolha de jogador do século pela internet, o argentino ganhou mais votos do que o brasileiro. A geração pontocom não confia em ninguém com menos de quatro cores".

E, para dar um ponto final na discussão, Verissimo garante que a coroa só encaixa em uma única cabeça: "A extrema objetividade, a antecipação da jogada, a solidariedade, a simplicidade - Pelé é melhor do que Maradona, melhor do que Messi, e dou fé".