Modelo que acusa Neymar de estupro falta ao depoimento pela 4ª vez

De acordo com o advogado Danilo Garcia, que esteve na delegacia nesta quinta-feira, a Najila vai comparecer nesta sexta-feira, às 11h

por Agência Estado

São Paulo, SP, 06 - Najila Trindade, modelo que acusa Neymar de estupro, não compareceu ao depoimento que estava marcado para as 16 horas desta quinta-feira, na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, em Santo Amaro (SP). Foi a quarta ausência da modelo após intimações da delegacia. Ela já havia sido convocada para prestar esclarecimentos no sábado, segunda e terça-feira.

De acordo com o advogado Danilo Garcia, que esteve na delegacia nesta quinta-feira, a modelo vai comparecer nesta sexta-feira, às 11h. Investigadores descartam a condução coercitiva da modelo, situação em que o intimidado é obrigado a se apresentar.

"Estou vindo à delegacia pela primeira vez como advogado da Najila Trindade. Eu preciso tomar conhecimento. Ela estará aqui nesta sexta-feira", disse o advogado.

Najila registrou um Boletim de Ocorrência como vítima de estupro que teria sido cometido pelo jogador em Paris, no dia 15 de maio, em Paris. Antes de prestar esclarecimentos, Najila concedeu entrevista ao SBT, nesta quarta-feira à noite, detalhando a acusação de estupro. Para os investigadores ela se expôs.

Foto: Reprodução / TV Record
Foto: Reprodução / TV Record
MOTIVO
Na entrevista, Najila afirmou que a discussão com Neymar começou pelo uso de preservativos. Na visão da modelo, a relação consensual virou ato de estupro quando Neymar teria se tornado agressivo.

"A partir do momento que falei 'não podemos'. Quando ele me virou, ele já foi cometendo o ato. Ele não falou 'eu não trouxe, mas eu tô a fim'. Não. Ele ficou calado. Para mim, ele tinha entendido. A partir do momento que ele me segurou violentamente, me batendo, ele estava me obrigando", diz a modelo, que afirma que a relação ocorreu sem preservativo.

ARROMBAMENTO
De acordo com os advogados de defesa, Najila não compareceu nesta quinta em função de uma tentativa de arrombamento que teria ocorrido no apartamento em que ela vive na zona sul de São Paulo. A administradora do imóvel não confirmou a informação. De acordo com o proprietário, Marcus Picconi, a funcionária da limpeza costuma deixar a porta aberta.

O médico Luiz Eduardo Campedelli, que assina o laudo médico de Najila, compareceu à delegacia para prestar esclarecimentos.O médico gastroenterologista registrou "arranhaduras, hematomas em absorção e estrias em região de ambos os glúteos". Ele saiu da delegacia sem dar entrevistas.