Penapolense faz 76 anos e presidente mais vitorioso não participará de eleição

O CAP precisa iniciar novo ciclo, pois o presidente que levou o time às suas primeiras conquistas, Nilso Moreira, não será candidato

por Agência Futebol Interior

Penápolis, SP, 16 (AFI) - O Clube Atlético Penapolense comemora nesta segunda-feira, 16 de novembro, 76 anos de fundação. Com passado recente vitorioso, entre os anos 2010 e 2014, o clube recebeu até mesmo os cumprimentos da Federação Paulista de Futebol (FPF), por meio de ofício assinado pelo presidente da entidade, Reinaldo Carneiro Bastos.

"Nesta data significativa, 16 de novembro, em que esse clube comemora mais um ano de existência, a Federação Paulista de Futebol quer externar sua alegria e apresentar seus cumprimentos. São 76 anos de história e desejamos que o Clube Atlético Penapolense possa nos brindar com muitas realizações dentro deste esporte pelo qual somos apaixonados", disse o comunicado.

FIM DE UMA ERA

O Penapolense agora precisa iniciar um novo ciclo, pois o presidente que levou o time às suas primeiras conquistas, Nilso Moreira, não será mais candidato.

Sem outro candidato até agora, o clube cogita até mesmo pedir uma licença das competições. Na primeira semana de dezembro, haverá uma assembleia para que outro candidato se apresente para presidir a diretoria executiva.

Nilso Moreira
Nilso Moreira
HISTÓRIA DE MOREIRA NO CAP

Na primeira passagem, Moreira assumiu o time na Série A3 do Campeonato Paulista de 2007 e ficou três anos na divisão.

Em 2010, porém, marcou época com grande campanha na Copa Paulista e alcançou às quartas de final de forma invicta, com 11 vitórias e seis empates - a invencibilidade chegou ao fim após revés diante do Atlético Sorocaba, mas avançou à semi.

Em 2011, o Penapolense entrou em destaque no cenário nacional ao ser coroado com a taça inédita do Paulista A3, com trajetória perfeita: melhor ataque e melhor defesa na primeira fase entre os 20 clubes. Na decisão, faturou os dois jogos diante da Santacruzense e carimbou acesso à Série A2.

Na temporada posterior, pela primeira vez na história na Série A2, o time comandado por Edison Só - também de volta ao clube - foi o quarto colocado e, de forma inédita, conquistou o direito de estar no pelotão de cima do estado de São Paulo.

O AUGE

De forma inédita na Série A1, o Penapolense não decepcionou e conseguiu se classificar às quartas de final. Naquela campanha, o time do interior venceu o Palmeiras, já na terceira rodada, pelo placar de 3 a 2, em pleno Pacaembu, além de arrancar empate fora de casa com o Corinthians.

Como reflexo do bom momento, conquistou vaga na Série D do Campeonato Brasileiro, participando, assim, de uma competição nacional.

Na segunda participação na elite, o CAP passou a ser visto pelos concorrentes com outros olhos. Em 2014, escreveu a melhor campanha e, com participação espetacular, foi até à semifinal, eliminando o São Paulo, dentro do Morumbi, nos pênaltis, após empate sem gols no tempo regulamentar. Na semifinal, perdeu para o Santos, por 3 a 2.

No fim, ganhou direito de disputar a quarta divisão do país ao sagrar-se campeão do Troféu do Interior.