Em 2011, Penapolense coroava campanha com o título da Série A3

Conquista inédita foi o início de uma ascensão da equipe de Penápolis, que chegaria à elite paulista no ano de 2013

por Federação Paulista (FPF)

Penápolis, SP, 22 - Os primeiros passos em busca das nossas metas sempre são os mais importantes e, em 2011, o Penapolense começou a traçar seu caminho rumo à elite do futebol paulista vencendo a Série A3 do Paulista daquele ano, após final com o Santacruzense. Foi a primeira etapa rumo ao feito inédito de jogar a Série A1.

Na época, 20 equipes disputavam o torneio e, na primeira fase, eram divididas em dois grupos de 10, com turno e returno, com os quatro melhores garantindo vaga para a próxima fase. O Penapolense terminou em primeiro lugar do Grupo 1, com 40 pontos (12 vitórias, quatro empates e duas derrotas). Santacruzense, São Carlos e XV de Jaú também conseguiram vaga. Pelo Grupo 2, a ponta da tabela ficou por conta do Grêmio Osasco, com 30 pontos, seguido por Velo Clube, Taubaté e Flamengo.

Em 2011, Penapolense coroava campanha com o título da Série A3
Em 2011, Penapolense coroava campanha com o título da Série A3
A segunda fase também foi composta por dois grupos, com quatro equipes cada. O primeiro e o quarto de um grupo na fase anterior com o segundo e terceiro do outro grupo. Os dois melhores colocados de cada chave garantiam vaga para a Série A2 de 2012, enquanto os líderes disputavam o título. Novamente, o Penapolense ficou na liderança do Grupo 3, com 13 pontos (quatro vitórias, um empate e uma derrota), e enfrentaria o Santacruzense na final, que ficou na liderança do Grupo 2, também com 13 pontos.

Por ter conquistado a melhor campanha ao longo da competição, o Penapolense teve a vantagem de fazer o jogo da volta diante do seu torcedor. No dia 15 de maio de 2011, no estádio Leônidas Camarinha, em Santa Cruz do Rio Pardo, as duas equipes entraram em campo pelo primeiro jogo da final e, mesmo jogando fora de casa, a equipe de Penápolis não deixou de mostrar o futebol que havia feito a equipe chegar até ali e -com gols de Biro Oliveira e Fio, venceu o jogo por 2 a 0.

JOGO DO TÍTULO
No dia 22 de maio de 2011, no estádio Tenente Carriço, as duas equipes voltaram a se enfrentar. Além de poder disputar a final em sua casa, a melhor campanha também dava ao Penapolense a vantagem de poder perder por até dois gols de diferença que ainda assim ficaria com o título.

Com isso, a equipe jogou de forma conservadora, esperando as melhores chances para chegar na meta adversária. Aos 38 minutos do primeiro tempo, após algumas chances do Santacruzense, Rodrigo Biro fez jogada pela esquerda e cruzou a bola para Luciano Gigante, que mandou para o fundo das redes.

O segundo tempo já começou com a equipe visitante empatando, com um gol de falta de Neto Mineiro. Mas o título que já estava bem encaminhado ficou ainda mais próximo quando, aos 22 minutos, em jogada pela esquerda, Reinaldo recebeu na área e marcou o segundo gol da partida, colocando o Penapolense em vantagem, sacramentando a conquista.

ACESSO SEGUIDO
Em 2012, a equipe disputou a Série A2 do Campeonato Paulista e, mesmo sem disputar a final, conseguiu a vaga para a elite do futebol paulista pela primeira vez na história do clube. Em 2013, em sua estreia, já teve uma campanha de destaque, conseguindo se classificar para as quartas de final da competição e conquistando o vice do Troféu do Interior. Já em 2014, a equipe conseguiu um feito que ficou na memória do torcedor, eliminando o São Paulo das quartas de final do Paulistão.

FICHA TÉCNICA
Penapolense 2 x 1 Santacruzense
Estádio:
estádio Tenente Carriço, Penápolis;
Data/hora: 22 de maio de 2011;
Árbitro: Wilson Luiz Seneme;
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse e João Bourgalber Nobre Chaves;
Cartões amarelos: Luciano Gigante, Biro (Penapolense); Neto Mineiro, Robson, Washington (Santacruzense);
GOLS: Luciano Gigante aos 39'/1T (1-0), Neto Mineiro aos 5'/2T (1-1) e Reinaldo aos 23'/2T (2-1);

Penapolense: Washington; Jailton, Biro e Perez; Niander, Rodrigo Biro (Romarinho), Zé Marcos, Reinaldo e Santos; Fio (Cairo) e Luciano Gigante. Técnico: Ito Roque.

Santacruzense: Vander; Rufino, Zé Hilton e Rafael Rocha; Robson (Sabará), Diogo Kachuba (Rinaldo), Magno, Washington (Régis) e Ruan; Neto Mineiro e Tom. Técnico: Aldo Cavalari.

Letícia Denadai, especial para a FPF