Paraense: Presidente do Paysandu é suspenso pelo STJD por críticas a árbitro

A punição foi dada pelo Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por reclamações ao árbitro Leandro Pedro Vuaden na Série C

por Agência Futebol Interior

Belém, PA, 10 (AFI) - O presidente do Paysandu, Ricardo Gluck Paul, foi condenado a ficar 30 dias sem poder assinar documentos representado o clube. A punição foi dada pelo Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por reclamações ao árbitro Leandro Pedro Vuaden.

Associação Nacional de Árbitro de Futebol (ANAF) foi a responsável pela denúncia após as declarações do dirigente no segundo jogo das quartas de final do Campeonato Brasileiro Série C, diante do Náutico.

O Paysandu emitiu uma nota oficial confirmando a decisão do STJD e afirmou que mandatário não teve intenção de ofender o árbitro e sim defender os interesses de seu clube. O clube também disse que não recorrerá da decisão. No cumprimento da suspensão, quem estará no cargo de presidente é Ieda Almeida.

Presidente Ricardo
Presidente Ricardo
CONFIRA A NOTA OFICIAL

O Paysandu Sport Club informa que o presidente Ricardo Gluck Paul foi suspenso, nesta sexta-feira (8), por um período de 30 dias pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) devido às declarações referentes ao jogo contra o Náutico-PE, pela Série C 2019, no qual o time bicolor foi prejudicado por um erro escandaloso de arbitragem, com amplo reconhecimento e repercussão nacional.

O dirigente foi punido por se manifestar publicamente, expressar sua opinião e sair em defesa dos interesses do clube, que perdeu a vaga para a Série B depois de um pênalti inexistente marcado pelo árbitro Leandro Pedro Vuaden.

A notícia de infração partiu da Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (Anaf), que saiu em defesa de Vuaden. O Paysandu esclarece que todas as declarações de Ricardo Gluck Paul foram feitas no sentido de lutar pela honra da imensa e apayxonada torcida bicolor, clamar por justiça e lutar por um direito da instituição. Portanto, ele jamais se manifestou com o intuito de ferir e/ou ofender a categoria dos árbitros.

O Paysandu Sport Club não recorrerá da decisão para não postergar nenhum efeito para o ano de 2020. Também esclarece que independentemente da suspensão, o clube tem plena governança, uma vez que há dentro da administração pessoas com legitimidade para assumir funções executivas em ocasiões especiais.

O clube aguarda a publicação da decisão para então anunciar com muita honra a primeira mulher, Ieda Almeida, a assumir o cargo de presidente, em exercício, do Paysandu. Durante o cumprimento da suspensão, o presidente Ricardo Gluck Paul continuará presente e atuante dentro clube, como sempre o fez, independente de cargo ou função.

O Paysandu Sport Club está focado nos jogos da final da Copa Verde, sem esquecer a belíssima festa e o apoio massivo da Fiel ao invadir eufórica a Curuzu na última quarta-feira (6), para assistir ao amistoso contra o Sport Belém.

O clube segue muito aliado, firme e forte aos milhares de bicolores apayxonados e, se depender desta gestão, haverá mais ações de aproximação da torcida com o clube, pois sempre tem de ser para ela e por ela todos os esforços desempenhados pelo Paysandu.