Série C: Técnico do Papão revela que 'meteu a porrada' em torcedor durante invasão

Hélio dos Anjos disse que se sentiu ameaçado com invasão ao gramado feita pela torcida do Náutico

por Agência Futebol Interior

Belém, PA, 09 (AFI) - A invasão protagonizada pela torcida do Náutico para comemorar o acesso, conquistado após vitória nos pênaltis sobre o Paysandu, no Aflitos, encheu os olhos de boa parte dos apaixonados por futebol, que puderam relembrar outros tempos do esporte. O sentimento não foi o mesmo para o técnico do Papão, Hélio dos Anjos, que se sentiu ameaçado com o campo tomado por torcedores adversários e revelou ter agredido um deles.

“Nós podíamos ser massacrados. Mais de 10 mil pessoas entrando no gramado. E eu vou ser sincero, eu meti a porrada em um (torcedor)”, afirmou o treinador bicolor, que ainda reclamou da atuação do árbitro Leandro Vuaden, muito criticado pelo pênalti marcado a favor do Timbu no último minuto da partida, por um toque de mão de Uchôa. Além disso, criticou até Leonardo Garciba, presidente da Comissão de Arbitragem da CBF.

Foto: Jorge Luiz / Paysandu
Foto: Jorge Luiz / Paysandu

“Eu não tenho nada contra o Náutico, mas hoje eu queria que o Gaciba (Leonardo Gaciba, presidente da Comissão de Arbitragem da CBF) explicasse, pois ele era um árbitro fraco fisicamente, não conseguia passar nos testes físicos e hoje ele está comandando (arbitragem brasileira) e fez isso aí com a gente”, disse.

NÃO ACABOU
A insatisfação com a arbitragem foi tanta que a diretoria do Paysandu resolveu tomar medidas formais. Presidente do Paysandu, Ricardo Gluck Paul viajou ao Rio de Janeiro nesta segunda-feira para reclamar oficialmente do pênalti marcado no jogo de volta e de um pênalti não marcado , em cima de Hygor Silva, no jogo de ida. O cartola prometeu tomar medidas judiciais.

OUTRA AGRESSÃO
Em nota oficial divulgada nesta segunda, o clube falou sobre as providências que pretende tomar e fez coro a reclamação de Hélio dos Anjos sobre a invasão, relatando uma agressão sofrida pelo odontólogo do clube, Fernando Agusto.

"Na saída de campo, jogadores e integrantes da comissão técnica foram cercados por milhares de torcedores do Náutico que invadiram o gramado. O odontólogo do clube, Fernando Augusto, foi agredido durante a invasão. A equipe teve de descer para o vestiário escoltada por um cordão de isolamento feito por policiais militares, em um ambiente totalmente hostil e que colocou em risco a integridade física e até a vida de aproximadamente 30 profissionais", diz o trecho da nota.