Federação Paulista apura denúncia de manipulação em jogos da Série A3 no União Barbarense

Oito jogadores são acusados pelo clube e também o ex-técnico, mas todos negam envolvimento com site de apostas

por Agência Estado

São Paulo, SP, 27 - Diretores do União Barbarense, time da cidade de Santa Bárbara do Oeste e que disputou a Série A3 do Campeonato Paulista, foram nesta terça-feira à sede da Federação Paulista de Futebol (FPF) para falar sobre o escândalo envolvendo a venda de jogos da equipe.

Barbarense é acusado de manipular resultados
Barbarense é acusado de manipular resultados

Conforme ocorrência registrada pela diretoria na Polícia Civil no domingo, o esquema envolveria oito atletas e o ex-treinador do time. Em um dos jogos da equipe sob suspeita, os envolvidos teriam recebido R$ 40 mil.

Os diretores gravaram conversa com dois atletas que teriam sido procurados para ganhar dinheiro em troca de combinar o resultado da partida.

COMITÊ APURA
O caso foi parar no Comitê de Integridade da FPF, que também apura a denúncia. O União Barbarense encerrou sua participação na Série A3 no domingo, quando empatou com o Marília por 0 a 0 e acabou rebaixado para a Segunda Divisão, equivalente à quarta divisão estadual.

O jogo teve um volante improvisado como goleiro devido às dispensas de atletas antes do término da competição.

De acordo com o relatado, um site internacional de apostas esportivas estaria por trás da manipulação de resultados, que teria ocorrido em cinco partidas. O clube ameaça ir à Justiça para tentar reverter o rebaixamento sob o argumento de ter sido vítima de fraude.

Peixoto nem mais era técnico do Barbarense
Peixoto nem mais era técnico do Barbarense

TODOS NEGAM
Os jogadores, por sua vez, negam ter participado de qualquer esquema de venda de resultados.

"Estou surpreso por estar nessa lista", disse o lateral Lincoln. "Nunca notei nada desses assuntos."

Claudemir Peixoto, ex-treinador também apontado no esquema, alega que a diretoria estaria tentando com esta história desviar o foco do rebaixamento.

A federação divulgou nota para dizer que seu Comitê de Integridade "investiga todas as denúncias envolvendo possíveis infrações".

O órgão tem em sua composição Ministério Público, TJD-SP e Polícia Civil e, entre outras funções, atua nos "desvios de conduta e manipulação de resultado no futebol paulista".

Veja abaixo a posição oficial da FPF sobre a denúncia:

"O caso está sendo analisado pelo Comitê de Integridade. A FPF trabalha ativamente para combater a manipulação de resultados e, por isso, criou em 2015 o Comitê de Integridade, que analisa e investiga denúncias de supostos casos de desvios de conduta e outras infrações, além de contar com o serviço da SportRadar, que monitora movimentos suspeitos em casas de apostas e faz alertas à FPF. "