Rio Branco 2 x 0 Grêmio Osasco - Campeão após 100 anos de história

Jogadores entram para história com o primeiro título do Rio Branco

por Agência Futebol Interior

Americana, SP, 20 (AFI) - Os jogadores do Rio Branco entraram para história do clube na manhã deste domingo no Estádio Décio Vitta. O Rio Branco venceu o Grêmio Osasco por 2 a 0, em Americana, e conquistou o título do Campeonato Paulista da Série A3, o primeiro da história do clube. Jogando pelo empate, o Tigre foi pra cima e garantiu a taça com dois gols do atacante Túlio.

O título sela a boa campanha do Rio Branco, que liderou durante toda a competição, tanto a fase classificatória quanto a fase de grupos. Enquanto o palco era preparado para o Rio Branco receber o título, os jogadores fizeram uma oração no circulo central do campo. Para o atacante Ceceu, o título tem uma sabor especial.

"É a 18ª decisão em 18 anos de carreira, estou muito feliz, por conquistar esse título no término da carreira. É um presente especial", declarou o jogador.

O Rio Branco é campeão paulista da Série A3

Partida
Dentro de campo, o Rio Branco fez honrar as ações para conquistar o título e partiu pra cima logo no inicio do primeiro tempo. Com boas troca de passes, o Tigre de Americana chegava com perigo, principalmente com o atacante Túlio, que entrou no lugar de Sandro Hiroshi. O Grêmio Osasco marcava individualmente, mas ainda deixava espaços para o Rio Branco.

Na busca incessante pelo título, o time da casa abriu o placar logo aos 12 minutos. Em rápido contra-ataque, Túlio pegou a sobra dentro da grande área e abriu o placar em forte chute na direita do goleiro Yamada. O Grêmio Osasco não sentiu o gol, mas ainda encontrava dificuldades na criação das jogadas. Com pouca presença no ataque, o time de Osasco viu o Rio Branco ampliar o placar.

Em uma das melhores partidas na competição, o atacante Túlio parecia mais inspirado e fez 2 a 0 em uma linda jogada individual, que incluiu uma finta no goleiro Yamada antes de balançar as redes. Com a vantagem, o Rio Branco recuou a marcação e deixava espaços. Perto dos 35 minutos, o Grêmio Osasco começava a gostar da partida e quase chegou ao gol com belo chute do atacante Celsinho, que mando uma pancada na trave.

Segundo tempo
Na etapa complementar, a partida começou com mais equilíbrio e o técnico do Grêmio Osasco, Toninho Moura, tirou o zagueiro Bruno Alves e colocou o volante Lucas, que auxiliou na marcação e ainda apoiava no ataque. Mesmo com a mudanças, o time osasoquense ainda não conseguia chegar com chance clara de gol. Tentando resolver a situação, Toninho Moura fez mais uma substituição ofensiva.

O técnico tirou o lateral Iran e colocou o atacante Luciano, mandando o time de Osasco pra cima. Mas quem continuava chegando com mis perigo era o Rio Branco. Com o atacante Marcos Denner se movimentando muito e jogando sempre pelas laterais, o Rio Branco quase ampliou o marcador depois de um bate e rebate dentro da área, que foi encerrado com um forte chute defendido pelo goleiro Yamada.

Aos 35 minutos, já sob os grito de "é campeão", dos torcedores, o Rio Branco não arriscava com tanta frequência ao ataque e, com a marcação mais recuada, mantinha a partida mais equilibrada. O atacante Túlio, que entrou para história do Rio Branco, com dois gols que deram o primeiro título ao clube, saiu para a entrada do atacante Ceceu, que está sendo negociado com o Marília para a Série D do Brasileiro.

Nos minutos finais, o Rio Branco ainda criou uma chance de ampliar o marcador. O lateral Esquerdinha partiu para cima e foi derrubado na entrada da grande área, onde alguns jogadores do Tigre pediram pênalti, mas o árbitro marcou só a falta e expulsou o volante Arthur. Na cobrança, o meia Rafael Chorão bateu forte e mandou por cima do gol. Nem precisava deste gol para a torcida festejar.

Ficha Técnica

Fase
Final
Rodada
2ª rodada
Data
20/05/2012
Horário
10h00
Local
Estádio Décio Vitta, em - Americana (SP)
Árbitro
Leandro Bizzio Marinho

Assistentes
Herman Brumel Vani e João Bourgalber Nobre Chaves

Rio Branco
Éder;
Oliveira, Marcos Vinícius, Bernardi (Júlio César) e Marins;
Deda, Rafael Jataí, Rodrigo Celeste e Rafael Chorão;
Túlio (Cecéu) e Marcos Dener (Fabio Junior)
Técnico: Luisinho Quintanilha
Grêmio Osasco
Yamada;
David, Bruno Leandro, Bruno Alves (Lucas) e Iran (Luciano);
Arthur, Mineiro, Rogério e Michel;
Dedé e Celsinho (Cajú)
Técnico: Toninho Moura