Paulista A2: Semifinal promove duelo entre técnicos com perfis opostos no ABCD

Márcio Ribeiro, 65, busca mais um acesso pelo Água Santa, enquanto Fernando Marchiori, 39, tenta primeira conquista em São Paulo

por Federação Paulista (FPF)

São Paulo, SP, 09 (AFI) - Água Santa e Santo André estão na semifinal do Campeonato Paulista da Série A2 após passarem por Taubaté e Rio Claro, respectivamente, nas quartas de final. Os times farão dois jogos para definir um acesso para a elite paulista em 2020 e iniciam o duelo com oposições tanto no perfil dos treinadores quanto na campanha.

Melhor campanha da fase inicial, o Água Santa não teve muitas dificuldades nas quartas. Venceu o jogo de ida, em Taubaté, por 5 a 0, e ganhou em casa por 2 a 0. “O jogo em Taubaté foi atípico. Não esperávamos que fizéssemos esse placar. Pela campanha que fizemos, sabíamos que poderia ter um bom resultado, mas não com aqueles valores”, comenta o técnico Márcio Ribeiro.

O Santo André teve mais trabalho. Classificado com a sexta melhor campanha, o time perdeu em casa por 1 a 0 e no jogo de volta viu o Rio Claro marcar no último minuto, diminuir para 2 a 1 e levar a decisão para os pênaltis, vencida pelo time do ABC por 5 a 4.

“Eles fizeram uma bela primeira fase. Tivemos infelicidade de perder em casa, mas na volta fizemos um primeiro tempo muito bom, marcando os dois gols e conseguindo a vaga”, resumiu Fernando Marchiori, treinador do Santo André.

OPOSTOS
Os dois treinadores podem ser considerados opostos. Aos 62 anos, Márcio Ribeiro já tem quase 25 anos como técnico, tendo rodado por vários times do interior. Porém, foi em Diadema onde ele obteve os melhores resultados, levando o time da Segunda Divisão até a elite paulista em três anos. Após duas temporadas afastado, retornou para 2019.

“Eu acho que todos os acessos que obtivemos foi a qualidade do grupo que ajudou muito. A diretoria é dinâmica, não deixa faltar nada. Procuramos de todas as maneiras conhecer o clube. É difícil você completar cento e tantos jogos com sucesso. Esperamos corresponder e conquistar mais um acesso”, diz.

Márcio Ribeiro (esq) e Fernando Marchiori (dir) medem forças na semifinal.
Márcio Ribeiro (esq) e Fernando Marchiori (dir) medem forças na semifinal.
Com menos tempo de carreira, o paulista Fernando Marchiori tem sua primeira experiência “em casa” como técnico. Iniciou a carreira em 2014, no Cuiabá, após um período de auxiliar no Luverdense. Pelo time do Mato Grosso foi campeão estadual e da Copa Verde. Também passou pelo Maringá, onde conquistou a Taça FPF por duas vezes e a segunda divisão paranaense. Aos 39 anos, ele tem pouca diferença para seus atletas Cristian (39) e Anselmo (38). “Eles são tranquilos, pessoas super do bem e profissionais ao extremo. Conhecem nosso perfil. Por ter idade deles, sabemos com pensam”, destaca.

O QUE ESPERAR?
Água Santa e Santo André se enfrentaram pela sétima rodada, em Diadema. O time da casa levou a melhor e venceu por 1 a 0. “Aquele jogo foi um dos mais difíceis que tivemos. Foi o adversário que talvez mais deu trabalho. Mas agora é uma outra situação, é diferente”, despista o comandante Márcio.

A dois jogos do principal objetivo, os técnicos sabem o que esperar para as partidas decisivas. “Eles tiveram uma primeira fase brilhante. Principalmente no início. É uma equipe madura, com poder de investimento, atletas de divisão acima, mas no mata-mata equilibra. São jogos de inteligência”, define Fernando. “Os 13 pontos de diferença (na classificaão geral) não existem. O Santo André é uma equipe experiente, que veio da A1 e que três anos atrás teve a mesma situação. Classificou no final e foi eliminando os adversários”, relembra Márcio.

QUANDO?
Água Santa e Santo André disputam a semifinal nos dois próximos finais de semana. O jogo de ida será no Bruno José Daniel, no sábado (13), às 15h. No domingo (21), a vaga será definida no Distrital do Inamar, às 11h. Do outro lado da chave, XV de Piracicaba e Inter de Limeira disputam o outro acesso.