Rio Claro 2 x 2 Velo Clube - Tudo igual no 128.º dérbi rioclarense na A2!

O jogo foi movimentado e com os dois clubes partindo ao ataque pela vitória

por Agência Futebol Interior

Rio Claro, SP, (AFI) – Rio Claro e Velo Clube fizeram na tarde deste sábado, no Estádio Augusto Schimidt Filho (Schimidtão), o dérbi rioclarense, e ficaram num empate por 2 a 2, pela sexta rodada do Campeonato Paulista da Série A2. Enquanto Rafael Costa e Mirandinha fizeram para o time da casa, Fandinho e Reginaldo balançaram as redes para o rubro-verde. Acompanhe tudo do Estadual no Portal FI e os resultados dos jogo no melhor Placar Ao Vivo da internet. Clique aqui e acompanhe.

Com o resultado, o Velo Clube se mantém nas primeiras posições, é o quarto colocado e soma 11 pontos. Já o Rio Claro, que não vence há duas rodadas, continua com os mesmos oito pontos e na décima posição.

Números e história
O primeiro confronto entre os times aconteceu em 1948, no antigo estádio do Velo Clube, o Bairro da Saúde. Quem levou a melhor foi o rubro-verde, que com gols de Freitas (contra) e Luiz Salomão (Dinho), bateu o Rio Claro, por 2 a 1. Grandim foi quem descontou para o Galo Azul na oportunidade. Este confronto foi o primeiro desde quando os clubes ativaram a categoria profissional.

Aliás, foi em 1948 que o Velo Clube conquistou o primeiro título em cima do arquirrival. Jogando por uma espécie de “Melhor de 3”, o rubro-verde venceu por 2 a 1 e empatou outros dois jogos por 1 a 1 e 2 a 2; e ficou com o caneco da “Taça A Favorita”.

E como se não bastasse a “freguesia” para o Velo Clube, o Rio Claro tem que aguentar ao longo da história a chacota de ter sofrido a maior goleada do clássico. Em 1983, em partida válida pela Segunda Divisão do Campeonato Paulista, no Estádio Benito Agnelo Castellano, o Velo simplesmente humilhou o rival ao vencer por 11 a 2.

Nos números, o Velo Clube leva uma boa vantagem sobre o rival. Em 127 jogos disputados, foram 51 vitórias do rubro-verde, contra 41 do Rio Claro. Além disso, ambos ficaram na igualdade em 35 oportunidades. Aliás, se tem dérbi rio-clarense, tem muitos gols. No total foram 190 bolas na rede do Velo e 163 do Galo Azul.

O último confronto entre os times aconteceu em 2002, no Estádio Benito Agnello (Benitão), pelo antigo Campeonato Paulista B1, e quem saiu vencedor foi o Rio Claro. Num jogo equilibrado, o Galo Azul bateu o rival por 3 a 2.

Bastidores do dérbi
Pouco menos de uma hora para o início do confronto, os torcedores do Velo Clube foram recepcionados na entrada de visitante do Estádio Augusto Schimidt Filho com muitos milhos espalhados pelo chão. O ato já era esperado, uma vez que ao longo de toda a história as “brincadeiras” e chacotas eram feitas com frequência.

Dentro do estádio, a torcida do Velo era maioria e fazia uma bonita festa para rever o seu time contra o maior rival. Foram mil ingressos disponibilizados para o time rubro-verde. Lembrando que para a partida, o Rio Claro não perdoou e colocou o preço dos ingressos a arquibancada coberta de R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia); e arquibancada descoberta R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia).

Para dar ainda mais charme ao dérbi rioclarense de número 128, o Hino Nacional Brasileiro foi executado no Schimidtão pela banda União dos Artistas Ferroviários de Rio Claro. O grupo foi fundado em 5 de agosto de 1896, com o nome de Banda do Grêmio dos Ferroviários.

O jogo
O dérbi rioclarense começou equilibrado, nervoso e com muitas faltas. Acontece que jogando em casa, o Rio Claro tocava mais a bola e começava a exercer uma pressão sobre o Velo Clube. Tocando melhor a bola e descendo em velocidade pelas laterais, o Galo Azul abriu o placar logo aos nove minutos de jogo. Em cobrança de falta, Rafael Costa chutou forte, rasteiro e mandou a bola no fundo do gol de Rodrigo.

Atrás no placar, o Velo Clube parecia ter sentido o gol e errava muitos passes no setor de meio-campo. O fato de ter perdido o meia Rafinha ainda nos primeiros minutos devido a uma torção também mexeu com o psicológico dos jogadores velistas dentro do gramado. Em seu lugar, o técnico João Vallim optou por colocar Renato, atleta técnico e poderia dar continuidade ao que foi proposto ainda nos vestiários.

Agora equilibrado, os dois times foram ao ataque e tentavam arriscar de fora da área. De tanto insistir, o Velo Clube levou a melhor e deixou tudo igual. Aos 42 minutos, Fandinho aproveitou sobra na área e fez o gol. Tudo isso em vão, já logo depois, na saída de bola, Miradinha foi ligeiro e deixou o Galo Azul novamente em vantagem no placar.

O jogo continuava lá e cá, levando melhor em campo quem menos errava. Foi usando esta filosofia que logo aos cinco minutos do segundo tempo que o Velo Clube voltou a igualar o placar. Reginaldo carregou bola e arriscou; o goleiro Sidão aceitou e a bola foi morrer no fundo das redes. Os dois times demonstravam cansaço em campo e não criaram mais grandes chances.

Próximos jogos!
Pela sétima rodada do Campeonato Paulista da Série A2, na quarta-feira o Rio Claro volta a jogar em casa, só que às 19h30, contra o Penapolense. Já o Velo Clube, no mesmo dia, novamente fora de casa, só que às 20h30, terá pela frente o São José.

Ficha Técnica

Fase
1ª Fase
Rodada
6ª rodada
Data
11/02/2012
Horário
17h00
Local
Estádio Dr. Augusto Schimidt Filho, em - Rio Claro (SP)
Árbitro
Wilson Luiz Seneme

Renda
R$ 75.085,00
Assistentes
Wilson Luiz Seneme e Eduardo de Souza Neto

Público
2.520 pagantes
Rio Claro
Sidão;
André, Fred, Marcelo Arandú e Doni;
Edinho, Lucas Maladosso, Nando Carandina e Marcelinho;
Mirandinha e Rafael Costa (Thiaguinho).
Técnico: Paulinho McLaren
Velo Clube
Rodrigo;
Ruhan (Alex Cambalhota), Denner, João Paulo e Fandinho;
Dênis, Rafinha (Renato), Fabinho e Felipe Pioavesan;
Luciano e Reginaldo.
Técnico: João Vallim