Vítima de extorsão, Saul Klein tem passaporte devolvido pela Justiça

Empresário apresenta provas de que não praticou crime algum e que vinha sendo extorquido por uma quadrilha

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 3 (AFI) – Falar é fácil, o difícil é provar e a verdade, mais cedo ou mais tarde, aparece. O empresário Saul Klein ganhou o primeiro round na disputa para provar que não praticou crime algum e que vinha sendo extorquido por uma quadrilha que manipularia mulheres. Por medida judicial, Klein teve seu passaporte devolvido por decisão do Juiz Fábio Malheiros do Nascimento, da 2.ª Vara Criminal da cidade de Barueri.

O magistrado também negou, nesta quarta-feira, medidas protetivas para 18 mulheres e revogou medidas semelhantes para outras 14, num total de 32 mulheres. Saul Klein é investigado em um inquérito que apura favorecimento à prostituição, aliciamento e estupro.

Mas desde o início se defendeu das acusações alegando que vinha sendo chantageado há algum tempo por um grupo, que formaria uma quadrilha especializada neste tipo de crime.

Saul Klein, à esquerda, há tempo incentiva e investe no futebol
Saul Klein, à esquerda, há tempo incentiva e investe no futebol

SEM RESTRIÇÕES
Diante dos fatos apresentados, o juiz não viu mais motivo para manter as restrições cautelares e, por isso, determinou, de forma imperativa a devolução do seu passaporte.

O documento estava retido por decisão de 19 de novembro, com base em uma série de acusações que começaram a aparecer na mídia com uma grande repercussão nacional. De qualquer forma, a advogada das mulheres, Graciela Souza, promete recorrer à decisão.

DEFESA CONVENCE

No inquérito a defesa confirmou o contato do empresário com muitas mulheres, mas numa condição diferente da apresentada por todas elas.

Segundo os advogados de Klein, as mulheres seriam “sugar barbies”, um termo bem atual para designar mulheres mais novas que mantém um relacionamento íntimo com homens, como companhia, carinho ou afeto e até mesmo com relações sexuais.

Este tipo de mulher depende de um outro personagem: o ‘sugar daddy’, homem mais velho e que têm o fetiche de sustentar financeiramente mulheres mais novas em troca de companhia e, eventualmente, relacionamento sexual.

DECISÃO BEM CLARA
Em cima da argumentação, o juiz Fábio Calheiros do Nascimento, foi bastante incisivo em sua decisão.

“Ocorre que, como dito, a defesa do requerido disse que a relação dele com as requerentes era de sugar daddy e babies, o que, realmente, pode ser algo que ofende a moralidade, mas não é, a rigor, antijurídico, muito menos criminoso, já que envolve o exercício das liberdades, dentre as quais a sexual”.

INVESTIDOR NO FUTEBOL
Saul Klein é um dos filhos de Samuel Klein, fundador das Casas Bahia, loja de varejo nacional. Saul sempre gostou de investir em futebol, participando diretamente de ações vitoriosas no São Caetano, nas décadas de 90 e 2000.

Ano passado, o empresário passou a investir na Ferroviária, de Araraquara, que criou um modelo positivo de clube-empresa. Desde as denúncias, consideradas descabidas pela defesa, Saul Klein optou por se afastar, temporariamente, de suas funções no clube do Interior.