Clubes 'furam' quarentena, treinam escondidos e irritam rivais no Campeonato Paulista

Dirigentes acusam equipes adversárias de desrespeitar isolamento social e de obter vantagem na preparação física

por Agência Estado

São Paulo, SP, 19 - Apesar de o governador João Doria ter liberado os clubes do Campeonato Paulista a retornarem aos treinos somente em 1º de julho, alguns participantes do Estadual realizaram atividades secretas nas últimas semanas e irritaram os adversários.

Fontes ligadas a seis diferentes equipes da elite reclamam que times como Red Bull Bragantino, Ferroviária e Oeste desrespeitaram a quarentena e podem ter vantagem competitiva por terem feito trabalho físicos e com bola enquanto os demais estavam em isolamento social.

A Federação Paulista de Futebol (FPF) foi procurada, mas não se posicionou sobre o assunto até a publicação desta reportagem. Uma das equipes suspeitas de estarem há mais tempo em atividade é a Ferroviária.

Red Bull Bragantino admitiu ter voltado aos treinos durante a quarentena - Foto: Divulgação/Red Bull Bragantino
Red Bull Bragantino admitiu ter voltado aos treinos durante a quarentena - Foto: Divulgação/Red Bull Bragantino

O Estadão recebeu uma mensagem enviada ao grupo de WhatsApp dos jogadores do time ainda no fim de abril. O conteúdo (leia a íntegra no fim do texto) chegou à reportagem após ser repassado pelos atletas da equipe para colegas de outros times.

O recado explica os procedimentos de trabalho no estádio Fonte Luminosa e apresenta a explícita orientação para os atletas não filmarem nem divulgarem as atividades.

"O setor de preparação física e fisiologia do clube preparou um protocolo de funcionamento e orientação para os atletas da instituição, visando abrir parcialmente as dependências do estádio a partir de segunda-feira (27/04)", diz trecho da mensagem enviada aos jogadores.

Procurada, a Ferroviária negou que tenha voltado aos treinos e disse que criou uma estrutura no estádio e no centro de treinamento apenas para atender atletas que necessitassem de estrutura de fisioterapia e musculação para se recuperar de lesões.

Uma outra equipe suspeita de ter realizado trabalhos antes da liberação foi o Oeste. O time de Barueri foi fotografado e filmado em uma reportagem publicada pelo site Globo Esporte na última semana. Os jogadores estão sem o uniforme do time enquanto treinam em um campo público de grama sintética na cidade. O clube preferiu não comentar o assunto.

O Red Bull Bragantino, por sua vez, admitiu ter treinado no início deste mês após receber uma autorização da Prefeitura de Bragança Paulista. A informação enfureceu outros times da elite durante reunião por videoconferência promovida pela FPF no dia 10 e levou a própria diretoria alvinegra a se desculpar em nota oficial.

"O Red Bull Bragantino decidiu, mesmo tendo liberação vigente da Prefeitura de Bragança Paulista, realizar os treinos de forma online", disse.

A equipe promete voltar agora só em 1º de julho, junto com os demais participantes. Aliás, a reunião em que o Red Bull Bragantino admitiu ter treinado durante a quarentena causou grande comoção nos bastidores.

Dirigentes que participaram do encontro contaram que os quatro principais clubes do Estado criticaram de forma contundente a postura do time alvinegro. Por outro lado, representantes de algumas equipes se mantiveram calados, uma postura que gerou nos demais a desconfiança de que havia quem apoiasse a volta às atividades mesmo antes da liberação do governo estadual.

"Tem um monte de boato sobre os times que estão treinando e até usando chácara de dirigente para se esconder. O único que teve a hombridade de confessar é o Bragantino. É quem eu menos critico. Eles tiveram a atitude de dar a cara para bater", afirmou ao Estadão o presidente do Santo André, Sidney Riquetto.

"Estamos dez dias atrás de outros clubes. Tem meia dúzia de times que estão treinando esse tempo todo. Quando começar o campeonato, os jogadores deles vão estar 'voando' e nós estaremos se arrastando", completou.

O presidente do Santos, José Carlos Peres, também concorda.

"Tivemos um fato desagradável que o Red Bull Bragantino voltou a treinar sem comunicar a Federação e os clubes", afirmou em entrevista à Santa Cecília TV.

Alguns dirigentes afirmam que têm sido questionados e até cobrados pelos próprios elencos para voltarem aos treinos.

"O jogador sabe que tem colegas deles treinando e por isso eles perguntam se a gente não pode voltar também", disse uma fonte à reportagem.

Os times do Campeonato Paulista estão sem frequentar oficialmente os locais de treinos desde o início da quarentena, em março. A rotina de trabalho dos jogadores têm sido na maioria das vezes à distância, com um cronograma de treinos criado e enviado pelos preparadores físicos de cada time.