Novo plano do Governo de SP indica volta do futebol no final de julho

A liberação de eventos que geram aglomerações, incluindo os esportivos, está prevista apenas na Fase 5

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 27 (AFI) - O Governador de São Paulo, João Dória (PSDB), concedeu uma entrevista coletiva no início da tarde desta quarta-feira para mostrar o "Plano São Paulo", que é sobre o relaxamento das regras de distanciamento social.

“A fase denominada retomada consciente seguirá a orientação da ciência, com dados técnicos para permitir a gradual e segura retomada”, disse Dória.

O plano vai ser colocado em prática a partir da próxima segunda-feira. A expectativa em relação ao futebol, porém, não é nada boa. Tudo indica que as práticas esportivas só serão liberadas no final de julho.

O governador João Dória (segundo da direita para esquerda) anunciou o plano de flexibilização do isolamento nesta quarta-feira
O governador João Dória (segundo da direita para esquerda) anunciou o plano de flexibilização do isolamento nesta quarta-feira
As cinco fases do programa vão do nível máximo de restrição de atividades não essenciais (vermelho) a etapas identificadas como controle (laranja), flexibilização (amarelo), abertura parcial (verde) e normal controlado (azul).

De acordo com o "Plano São Paulo", a liberação de eventos que geram aglomerações, incluindo os esportivos, está prevista apenas na Fase 5. Em um cenário otimista, isso é esperado para acontecer no final de julho.

O Portal Futebol Interior entrou em contato com a Federação Paulista de Futebol (FPF) para saber as situações dos campeonatos, mas a entidade disse que não iria se pronunciar pois não havia nenhuma novidade.

A última reunião realizada entre FPF e representantes dos 16 clubes que estão na Série A1 do Paulista aconteceu no início de maio. A entidade disse que o campeonato terminaria dentro de campo, mas evitou estipular datas.

ACOMPANHAMENTO
As fases são determinadas pelo acompanhamento semanal da média da taxa de ocupação de leitos de UTI exclusivas para pacientes contaminados pelo coronavírus e o número de novas internações no mesmo período.

Uma região só poderá passar a uma reclassificação de etapa – com restrição menor ou maior – após 14 dias do faseamento inicial, mantendo os indicadores de saúde estáveis.