Palmeiras (4) 0 x 0 (5) São Paulo - Tiago Volpi brilha e coloca Tricolor na decisão!

O adversário na final será definido nesta segunda-feira na semifinal entre Santos e Corinthians, no Pacaembu

por Agência Estado

Rádio FI transmitiu este duelo em parceria com a Rádio Mantiqueira FM, de Poços de Caldas
Rádio FI transmitiu este duelo em parceria com a Rádio Mantiqueira FM, de Poços de Caldas

São Paulo, SP, 06 - O São Paulo está na final do Campeonato Paulista depois de 16 anos. Após empate por 0 a 0 na semifinal com o Palmeiras no tempo normal, a equipe venceu nos pênaltis por 5 a 4 neste domingo, no Allianz Parque.

No jogo de ida, os dois times já haviam empatado também sem gols. A Rádio Futebol Interior transmitiu este duelo em parceria com a Rádio Mantiqueia FM, de Poços de Caldas.

Agora, o São Paulo tem a chance de buscar o título que não vem desde 2005, quando a disputa da competição ocorreu no sistema de pontos corridos. O adversário na final será definido nesta segunda-feira na semifinal entre Santos e Corinthians, no Pacaembu. No primeiro jogo, vitória corintiana por 2 a 1.

VOLPI VIROU PERSONAGEM

Na decisão por pênaltis, o principal personagem foi o goleiro Tiago Volpi. Ele defendeu o chute de Ricardo Goulart, mas falhou na sua própria cobrança, que daria a vaga o São Paulo, ainda na sequência inicial de cinco batidas.

Na segunda série de batidas, ele conseguiu nova defesa, desta vez de Zé Rafael, e garantiu a vaga na final.

O jogo do Allianz Parque teve dois gols anulados por interferência do árbitro assistente de vídeo (VAR), um para cada lado. As duas decisões foram corretas, apontando impedimento dos ataques, mas a demora foi excessiva até a decisão final.

Foto: Alexandre Battibugli/FPF
Foto: Alexandre Battibugli/FPF

ESTREIA
A partida deste domingo marcou a estreia de Cuca exatamente diante do clube - e no estádio - onde foi campeão brasileiro em 2016. Aos 55 anos, o treinador do Morumbi voltou aos gramados após ter sido submetido a uma cirurgia cardíaca no fim do ano passado. Com o empate no tempo normal, o São Paulo encerra um tabu na casa do rival. Nos sete jogos anteriores, o time do Morumbi somava sete derrotas.

PRIMEIRO TEMPO: DEVAGAR!
No primeiro tempo, a partida foi morna, com poucos momentos dignos de uma semifinal, e bastante equilibrada. No segundo, a disputa ficou mais intensa, mas com poucas chances reais. As principais foram de Antony, que finalizou mal quando foi lançado frente a frente com Prass. O Palmeiras acertou uma bola na trave com Scarpa.

São Paulo está na final do Paulistão
São Paulo está na final do Paulistão

Cuca havia previsto que o Palmeiras começaria o jogo com uma blitz, tentando abrir o placar no começo do jogo. Ele estava certo. Jogando principalmente pelo lado direito, o time chegava com perigo ao gol de Tiago Volpi.

Aos 12 minutos, Luan salvou finalização perigosa de Ricardo Goulart, dentro da área. Esse foi o lance mais agudo do domínio palmeirense.

SURPRESA COM PRASS
Na defesa, Felipão surpreendeu ao escalar Fernando Prass no gol e promoveu a volta de Luan no miolo da zaga.

Sem Pablo, que não se recuperou de dores na panturrilha, Cuca apostou em um ataque composto por Éverton, Everton Felipe e Antony.

Com isso, o time iniciou a partida sem uma referência na área. Nenhum dos três reúne características de centroavante. Essa configuração tática mostrava clara opção pelo contra-ataque.

O time visitante conseguiu tocar a bola no campo do rival, mas faltava objetividade. O time do Morumbi era comandado por Cuca, que sempre ouvia o coordenador técnico Vagner Mancini - os dois dividiram as principais decisões.

JOGO MOVIMENTADO
O jogo foi movimentado, cheio de dinamismo no meio, pouca morosidade, mas faltou finalização dos dois lados. Faltaram chutes de fora da área. O São Paulo conseguiu bloquear as principais jogadas do Palmeiras, principalmente na bola aérea.

O time da casa marcava bem o meio campo rápido do rival. Jogo equilibrado e travado no meio. Faltou a jogada individual de Dudu e Antony, duas promessas de drible e criatividade que estiveram apagadas no primeiro tempo. Foi um jogo de xadrez tático, disputa ferranha entre Cuca, Mancini e Felipão, mas faltou a emoção do futebol.

A melhor chance do primeiro tempo foi desperdiçada por Antony aos 43 da etapa inicial. Ele foi lançado por Everton, saiu na cara de Fernando Prass, mas finalizou fraco - o goleiro teve méritos ao fechar bem o ângulo. A primeira chance clara de gol do São Paulo saiu na primeira jogada após Everton e Everton Felipe inverterem de posição.

SEGUNDO TEMPO: VAR EM AÇÃO!
Aos 3 minutos do segundo tempo, o São Paulo teve um gol anulado após checagem com o árbitro de vídeo (VAR). Liziero recebeu passe de Igor Gomes e marcou, mas estava impedido. O susto fez o Palmeiras acordar. Aos 11, Scarpa fez boa jogada individual pela esquerda e chutou fora. A bola bateu na trave de Volpi.

DUAS MUDANÇAS
Problemas físicos obrigaram o São Paulo a fazer duas mudanças. A primeira foi a saída de Everton, que não atuava desde fevereiro, e sentiu cãibras. Em seu lugar entrou Gonzalo Carneiro, que obrigou o time a mudar suas características ofensivas.

A outra mudança, que manteve o padrão tático, foi de Reinaldo por Léo. Preocupado com os avanços do rival, Felipão também mudou e trocou Scarpa por Zé Rafael. Também por lesão, Victor Luis deu lugar para Diogo Barbosa.

VAR ANULA GOL
Aos 32 minutos, foi a vez de o Palmeiras ter um gol anulado pelo VAR. Após cruzamento de Diogo Barbosa, Deyverson marcou, mas a revisão do lance apontou impedimento. A entrada de Zé Rafael fez o time da casa ser mais objetivo, com dois chutes perigosos.

As chances, no entanto, não foram suficientes para abrir o placar no tempo normal. Na decisão por pênaltis, o São Paulo conseguiu a vitória por 5 a 4 diante de 39 mil palmeirenses.

QUEM LEMBRA?
Na última vez que disputou uma decisão de Paulistão, o São Paulo foi superado pelo Corinthians, em 2003, dois anos antes de triunfar no Estadual realizado no sistema de pontos corridos em 2005.

Ficha Técnica

Fase
Semifinal
Rodada
2ª rodada
Data
07/04/2019
Horário
16h00
Local
Arena Palestra - São Paulo (SP)
Árbitro
Flavio Rodrigues de Souza

Renda
R$ 2.665.699,30
Assistentes
Marcelo Carvalho Van Gasse e Alex Ang Ribeiro

Público
39.751 pagantes
Cartões Amarelos
Palmeiras: Gustavo Gómez, Deyverson
São Paulo: Hudson, Reinaldo, Everton

Palmeiras
Fernando Prass;
Mayke, Luan, Gustavo Gómez e Victor Luis (Diogo Barbosa);
Felipe Melo e Bruno Henrique;
Ricardo Goulart, Gustavo Scarpa (Zé Rafael) e Dudu;
Deyverson.
Técnico: Felipão
São Paulo
Tiago Volpi;
Hudson, Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo (Léo Pelé);
Luan, Liziero e Igor Gomes (Nenê);
Antony, Everton (Gonzalo Carneiro) e Everton Felipe.
Técnico: Cuca