Rubens Pacheco: Previsão do tempo na Baixada Santista

A diretoria do Santos Futebol Clube está muito perto de causar um verdadeiro tsunami na Vila gloriosa.

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 14 (AFI) - A diretoria do Santos Futebol Clube está muito perto de causar um verdadeiro tsunami na Vila gloriosa. Com atitudes autoritárias e precipitadas do presidente José Carlos Peres, como a dispensa do diretor de futebol após apenas dois meses de casa, culpando o momento em “choque de gestão”.

Além da demissão dos fisioterapeutas Diego Guietti e Tom Pierin, da psicóloga Juliane Fechio, dos médicos Rodrigo Zogaib, Maurício Zenaide e Ricardo Nobre, sem nenhuma explicação.

Dirigentes do Peixe dão pitacos no trabalho de Jair Ventura
Dirigentes do Peixe dão pitacos no trabalho de Jair Ventura

E agora, com críticas e pitacos de parte da diretoria sobre o trabalho do técnico Jair Ventura, o clima totalmente negativo e pesado que se forma, causa uma pressão desnecessária sobre o grupo, às vésperas de um jogo importante pela Libertadores, num elenco recheado de jovens.

EGO ACIMA DO CLUBE
De duas, uma: ou Jair mantém o equilíbrio e, com bons resultados contra Nacional do Uruguai e Botafogo, em Ribeirão Preto, espanta este início de crise que os abutres de plantão insistem em querer instaurar, ou a ansiedade e o imediatismo de dirigentes despreparados e egocêntricos desestruturem de vez um ideal, colocando em risco todas as disputas do clube durante o ano.

O que separa as duas situações é uma linha muito tênue e requer o máximo cuidado.

Porém, dou outro lado da Avenida Senador Pinheiro Machado, o tempo é muito bom e sem previsão de mudanças bruscas, o que favorece o excelente trabalho realizado por Sérgio Guedes à frente da briosa Portuguesa Santista, que faz campanha irretocável na série A2 do Campeonato Paulista e tem tudo para voltar à divisão principal do estado, no próximo ano.

POR - RUBENS PACHECO

 
 
" />