Crescente do futebol feminino é destaque na festa do Paulista Feminino 2019

Vice-presidente da FPF, Fernando Solleiro destacou a evolução do futebol feminino e projetou um futuro ainda maior para a modalidade

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 25 (AFI) - O ano de 2019 foi especial para o futebol feminino no Brasil e no mundo. Em São Paulo, não foi diferente, e o Paulista Feminino mostrou o potencial da modalidade. Na partida final, mais de 28 mil pessoas estiveram na Arena Corinthians para acompanhar o duelo entre Corinthians e São Paulo, marcando um novo recorde nacional. A crescente da modalidade foi elemento chave na festa de premiação, que ocorreu no Museu do Futebol, na noite desta segunda-feira (25).

Vice-presidente da FPF, Fernando Solleiro destacou a evolução do futebol feminino paulista e projetou um futuro ainda maior para a modalidade.

Diretora responsável por cuidar do futebol feminino em São Paulo, Aline Pellegrino agradeceu aos clubes pela união para solucionar as dificuldades encontradas
Diretora responsável por cuidar do futebol feminino em São Paulo, Aline Pellegrino agradeceu aos clubes pela união para solucionar as dificuldades encontradas
“Fazer futebol feminino não é fácil, mas é diferente. Há uma dedicação maior, uma união maior entre os clubes pra fazer as coisas darem certo. Há muito o que melhorar, mas a gente tem feito um trabalho muito grande e vocês têm ajudado muito. Quando você vê o público nos estádios, vê as meninas olhando e se sentindo representadas, valorizadas e cada vez mais querendo jogar. Falta oportunidade e estamos brigando muito por isso”, discursou.

MESMA LINHA
Também vice-presidente da FPF, Mauro Silva destacou os números positivos do torneio.

“Que momento bacana vive o futebol feminino. Ficamos felizes de trabalhar na federação para que mais meninas tenham uma camisa para vestir. Destacar que é um momento muito especial. Na FPF TV os jogos tiveram quatro vezes mais visualizações que 2018. Tenho certeza que daqui para frente vai crescer e continuar se desenvolvendo”, pontuou.

Diretora responsável por cuidar do futebol feminino em São Paulo, Aline Pellegrino agradeceu aos clubes pela união para solucionar as dificuldades encontradas.

“Foi um ano espetacular para o futebol feminino. As coisas estão acontecendo, mas se não interferir, não colocar a mão na massa, vai demora para chegar. Aqui em São Paulo os clubes são parceiros, trabalham juntos, mas damos solução e corremos atrás para que as coisas aconteçam. A final só foi grande porque tiveram outros clubes que participaram”, disse.

FUTURO
O trabalho realizado nas categorias de base também foi mencionado na premiação. Em 2019, a FPF realizou a primeira Peneira de Futebol Feminino Sub-17, com a presença de mais de 300 meninas. Promovendo o Campeonato Paulista Feminino Sub-17 e o Festival Feminino Sub-14, a meta é criar novas competições para integrar mais equipes paulistas, além de nacionais e até internacionais.

“Falta uma coisa, uma competição para chegarmos onde queremos. Um dia vamos ter uma Copa São Paulo de Futebol Júnior do Feminino. Vamos reunir clubes de todos os estados desse país disputando uma competição aqui. A gente tem que valorizar a base”, revelou Fernando Sollero. "Dá para fazer. Vamos acreditar. Vamos trazer universidades americanas para jogar aqui, times de Barcelona. Temos um time forte na FPF e vamos fazer”, completou Aline Pellegrino.