Jornalista e assessor do Paraná são detidos pela PM em jogo da Série B

Profisisonais foram detidos ao tentarem filmar ação da PM em Criciúma

por Agência Futebol Interior

Criciúma, SC, 19 (AFI) - O empate, por 1 a 1, ante o Criciúma não terminou nada bem para o Paraná que foi eliminado da Série B do Campeonato Brasileiro, teve Rodolfo e Fabrício expulsos pelo árbitro gaúcho Daniel Nobre Bins e ainda viu Irapitan Costa, seu assessor de imprensa, ser detido pela Polícia Militar, assim como Jairo Silva Junior, repórter da rádio Transamérica.

A confusão começou após o apito final. Alex Brasil, diretor de futebol do Paraná, começou a confusão e acabou detido pela PM. Irapitan Costa tentou intervir e também foi detido pela polícia no Estádio Heriberto Hulse, em Criciúma. Neste momento, Jairinho quis saber o motivo da prisão e tentou filmar o ocorrido.

Os policiais, no entanto, tomaram o celular do repórter e ainda o prenderam. A PM não comentou o ocorrido e também não devolveu o celular do profissionais. Os jornalistas foram liberados por volta das 22 horas.

"Todas às vezes que a gente vem jogar aqui é sempre assim, esse despreparo total. Fui agredido. Tem um hematoma aqui. Infelizmente aqui se fez e aqui se paga. A PM do Paraná recebe muito bem todos nossos adversários. A PM estava me tirando com agressividade e infelizmente não puderam filmar. O companheiro da rádio Transamérica não pôde fazer seu trabalho. Fico indignado com isso. Agora ele vai passar por esse transtorno. Sabe até que horas vai ficar ali", disse Alex Brasil à rádio Banda B, do Paraná.

Censura da PM em Criciúma. (Foto: Divulgação)
Censura da PM em Criciúma. (Foto: Divulgação)
EM CAMPO!

Com o empate levado aos 40 minutos do 2º tempo, o Paraná estacionou na 6ª colocação com 55 pontos, mas como tem apenas um jogo por fazer, não alcançará a zona de acesso que é fechada pelo Atlético-GO, dono de 60 pontos.

No sábado, 30 de novembro, às 16h30, o Paraná se despedirá da temporada ante o Botafogo no Estádio Durival Britto e Silva, em Curitiba.