Muito perto da Série B, Claudinei adota tom conformado, mas pede dignidade ao Paraná

Time paranista é o lanterna do Brasileirão, com 17 pontos, oito a menos que o Ceará, primeiro time fora do Z4

por Agência Futebol Interior

Curitiba, PR, 09 (AFI) - A goleada por 4 a 0 sofrida diante do Fluminense fez com que o Paraná chegasse ao 14º jogo sem vitória no Campeonato Brasileiro. O time está na lanterna, com 17 pontos, a oito do Ceará, o primeiro fora da zona de rebaixamento, cenário que despertou o desânimo do técnico Claudinei Oliveira.

Em entrevista coletiva, o comandante paranista avaliou o momento e deu sinais de conformismo em relação a queda à Série D. Restam dez rodadas e as chances de rebaixamento são de 99%.

“A gente pode fazer alguma coisa a mais. Se não vamos terminar em 16° no campeonato, a gente pode terminar em 13° no segundo turno, fazer um segundo turno mais digno, com uma pontuação maior do que alguns clubes, para que a gente mostre que tivemos hombridade até o final. É isso que a gente pede para eles”, afirmou.

Foto: Divulgação / Paraná Clube
Foto: Divulgação / Paraná Clube
COMPROMETIMENTO
Claudinei evitou cobrar publicamente os jogadores e afirmou que é preciso comprometimento para que o time consiga fazer bons jogos diante de uma situação tão complicada.

“Aqueles que não tiverem essa postura, com esse engajamento que nós da comissão temos procurado passar para eles, a gente vai deixar de lado e vai optar por outros. A gente precisa disso aí, de caras engajados, comprometidos e com personalidade para encarar este momento. Que não se omitam como a gente não está se omitindo”, avaliou.

O Paraná volta a campo Às 21 horas do próximo sábado, quando visita o Bahia em Pitaução, pela 29ª rodada do Brasileirão.

 
 
" />