Presidente ataca FPF, reclama de erros e desiste de tirar clube do Paraense

Lindomar de Jesus queria desistir do Parazão por acreditar que há um movimento para rebaixar o Carajás no Parazão

por Agência Futebol Interior

Carajás, PA, 23 (AFI) - O Carajás seguirá no Campeonato Paraense. Um dia após afirmar que o time iria desistir da disputa, o presidente Lindomar de Jesus gravou um vídeo, nesta sexta-feira, para explicar os motivos e também para garantir que o Carajás voltou atrás em sua decisão.

"Refletindo, ouvimos jogadores, comissão técnica e assessoria jurídica. Para evitar prejudicar os outros clubes na competição, nossos patrocinadores, as pessoas que nos ajudam, vamos seguir. Eu, como pessoa, sairia do campeonato, mas não posso me colocar à frente do Carajás. A gente tem que rever o que foi comunicado ontem. A gente tem que voltar atrás da decisão tomada em relação ao que pode causar ao clube, prejuízo ao clube, jogadores... A gente voltou atrás da decisão hoje de manhã e estou dizendo isso oficialmente", disse o mandatário em vídeo divulgado nas redes sociais.

RECLAMAÇÃO!
Presidente voltou atrás da decisão. (Foto: Reprodução)
Presidente voltou atrás da decisão. (Foto: Reprodução)
Lindomar de Jesus queria desistir do Parazão por acreditar que há um movimento para rebaixar o Carajás no Parazão. O presidente, aliás, fez insinuações contra a Federação Paraense de Futebol (FPF).

"O trio de arbitragem veio para nos punir (no empate por 1 a 1 com o Paragominas), nos tirar da Série A do ano que vem. Erros gravíssimos, gol legítimo que o bandeirinha deu impedimento. Ficamos sabendo, pós-jogo, que o bandeirinha é vigia da Federação. Nada contra a profissão de vigia que é digna. Mas na minha opinião, como presidente do clube, a gente não pode colocar funcionário da Federação para arbitrar um jogo. Não teve parada técnica e o juiz deu 7 minutos de acréscimos. Tomamos o gol aos 52 minutos. esse foi um dos motivos", começou Lindomar.

"Já vínhamos reclamando da arbitragem contra o Paysandu. Uma bola que não foi escanteio e tomamos o gol. Em Itupiranga fizemos gol legítimo, mas o bandeira anulou. Em Tucuruí, estava na arquibancada na linha do lance, o atacante nosso veio por trás e fez o gol, mas o bandeira anulou. Parece que querem nos colocar na segunda divisão. Não sabemos o motivo", completou.

MOTIVO?

Outra reclamação do Carajás é o fato do time não pode atuar em sua própria casa. O presidente voltou a bater na FPF.

"A gente lutou muito para ter os laudos para fazer os jogos em Carajás. Laudos de engenharia, bombeiros, polícia militar e vigilância sanitária. Gastamos quase R$ 30 mil. Depois, a gente fica sabendo que tem clube jogando em estádio sem laudo. Está tendo dois pesos e duas medidas. Não sei o real motivo. A gente apenas aponta que pode ser a eleição na FPF".

Ao empatar com o Paragominas, por 1 a 1, o Carajás ficou na terceira colocação do Grupo B com cinco pontos, a um da zona de rebaixamento. Na oitava rodada, se não sair do Parazão, o Carajás medirá forças ante o Castanhal fora de casa.