Paysandu aciona TJD e Paraense corre riscos até de voltar jogos

Isso porque o Papão entrou com recurso no TJD-PA para anular ofício da FPF sobre inscirção de atletas

por Agência Futebol Interior

Belém, PA, 01 (AFI) - O Campeonato Paraense, que tem Paysandu e Remo como finalistas, promete muita polêmica fora de campo. Isso porque o Papão entrou com recurso no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-PA) para anular ofício da Federação Paranaense de Futebol (FPF) sobre a data final de inscrições de atletas.

ANTES DE TUDO, ENTENDA O CASO

O regulamento define que “Cada equipe poderá utilizar no máximo 40 (quarenta) atletas no Paraense 1ª Divisão - BANPARÁ 2020, que tenham seus nomes publicados no BID/CBF até o último dia útil que anteceder a última rodada da fase classificatória da competição”.

A data da rodada final seria 5 de agosto, mas duas partidas foram antecipadas para 4 de agosto - Castanhal x Independente e Itupiranga x Paysandu. Com isso, o Paysandu entende que as inscrições deveriam ser realizadas até 3 de agosto, o que excluiria o lateral-esquerdo Marlon e o atacante Tcharlles, registrados pelo Remo no dia 4.

A FPF emitiu ofício, depois da alteração da tabela, reafirmando a data 4 de agosto. O Paysandu entende que isso é uma alteração no regulamento e que, portando, deveria ser aceito de forma unânime, o que não aconteceu.

ATÉ ANULAÇÃO?

O Remo, por sua vez, entende que se houve irregularidade, foi na antecipação dos jogos e chegou até sugerir uma anulação da última rodada e, consequentemente, da semifinais.

“Estamos tranquilos. Se for aceita alguma tese de descumprimento de regulamento, terá que voltar a última rodada, pois ela foi feita de maneira irregular.

Depois faz as semifinais novamente, anula todo o processo”, disse Fábio Bentes, presidente do Remo, ao Globoesporte.com

DECISÃO DO TJD SAI NESTA SEMANA

Quem analisará o caso é o presidente do órgão, Fábio Salgado, e deve dar uma resposta até sexta-feira, dependendo da complexidade. Se a decisão for favorável ao Paysandu, o Castanhal também pode entrar com processo reclamando, pois os jogadores em questão atuaram na semifinal e, muito provavelmente, o Remo também não aceitará.

O caso também passará pela Procuradoria e pelo Pleno do TJD. O advogado do Paysandu é Marcelo Jucá, ex-presidente do TJD-RJ e que também passou pelo STJD.