Abel vê falha em finalizações e minimiza fase ruim nos pênaltis em queda do Palmeiras

O treinador acumulou mais uma eliminação nos pênaltis com a equipe alviverde

por Agência Estado

São Paulo, SP, 09 - O técnico Abel Ferreira culpou a falta de precisão nas finalizações como o principal motivo pela eliminação do Palmeiras frente ao CRB, nesta quarta-feira, no Allianz Parque, após derrota no tempo normal (0 a 1) e nas penalidades (3 a 4).

"Das 35 finalizações que tivemos, pelo menos quatro foram chances claras, algumas delas em cima da linha. O futebol resume-se a isso. É uma frustração para todos nós, para o treinador, para os jogadores, para a direção, para os torcedores, que sofrem tanto quanto nós. Era um objetivo que queríamos e está fora, já não temos mais a possibilidade de lutar por ele", afirmou Abel.
_____________________________________________________________________________________________________

TÉCNICO APONTA RAZÃO DA ELIMINAÇÃO

______________________________________________________________________________________________________

PÊNALTIS, OUTRA VEZ
Sobre o fato de o time ser superado mais uma vez em uma disputa de penalidades, o treinador português apontou um possível problema emocional de seus atletas.

"São muitas decisões de pênaltis que nós perdemos. Na minha opinião, tem muito a ver com a capacidade mental de estar calmo e fresco nesses momentos, porque a pressão para quem bate é muito grande.

Hoje, de uma equipe que não tinha nada a perder, e outra, o Palmeiras, que tinha tudo a perder. Porque, se ganhássemos, era normal, e, se perdêssemos para uma equipe como o CRB, logicamente que sentiríamos muita frustração", disse o técnico.

Abel Ferreira está sendo pressionado no comando do Palmeiras
Abel Ferreira está sendo pressionado no comando do Palmeiras

PÊNALTIS
Depois, Abel minimizou o problema enfrentado nas cobranças.

"Para mim, disputa de pênaltis é competência e, também, um pouquinho de sorte. Hoje, não tivemos felicidade, temos que aceitar o que Deus nos deu, entendeu que a sorte não deveria estar conosco, entendeu que deveria premiar o esforço e a forma como o nosso adversário se defendeu. Por muito que nos custa, temos que aceitar e seguir em frente", disse Abel.

Desta vez, o técnico não culpou a maratona de partidas pelo mau resultado.

"Não há desgaste físico, não entro por aí. Criamos oportunidades contra uma equipe que se fechou bem depois de fazer o gol, chutou duas vezes à meta e fez gol em uma delas. O objetivo máximo do futebol é fazer gols, e nós, hoje, não tivemos a capacidade de superar o nosso adversário nas oportunidades que criamos", completou.

BRASILEIRÃO
O Palmeiras volta a atuar no sábado, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro, diante do rival Corinthians, às 19 horas, no Allianz Parque.