Técnico do Palmeiras acusa árbitro de ter mentido e é absolvido pelo STJD

O Pleno do STJD ainda poderá entrar com recurso para tentar punir o treinador alviverde

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 18 (AFI) - A Primeira Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol julgou nesta segunda o técnico Abel Ferreira, do Palmeiras. Denunciado por ofender a arbitragem na Copa do Brasil, o treinador foi absolvido por três votos, contra dois que aplicavam a pena de advertência. A decisão cabe recurso e deve chegar ao Pleno, última instância no Brasil.

A denúncia foi baseada na súmula da partida entre Palmeiras e Ceará, pelas quartas de final da Copa do Brasil. Abel foi expulso com o vermelho direto e o árbitro narrou as palavras ditas pelo treinador. "Vai se f*, vai tomar no c*, vem ver que não foi nada”, escreveu o árbitro na súmula.

TÉCNICO DO PALMEIRAS FALA SOBRE FUTEBOL CONSISTENTE

SEM OFENSA
Presente de forma virtual no julgamento, Abel prestou depoimento e negou que tenha ofendido o árbitro da partida.

“Em Portugal não é assim que funciona. Quem é denunciado não pode se defender e quero dar parabéns para vocês. Não tinha visto essas imagens. Há um microfone embaixo de mim. Cheguei ao Brasil e era meu terceiro jogo.

A expressão que ele disse que eu disse eu nunca usei na minha vida. São duas expressões brasileiras e em português não se usa isso. Eu falei fod*-se, não é pênalti, mas não é desrespeito. Ontem fui fazer um chá e falei fod*-se está quente. Em Portugal falamos assim", falou o treinador, antes de continuar.

Abel Ferreira é absolvido pelo STJD
Abel Ferreira é absolvido pelo STJD

"Sou apaixonado pela minha profissão. Procurei saber com o quarto árbitro o motivo de ter sido expulso e ele disse que o árbitro que mandou. Eu aceitava um amarelo, uma advertência, mas o vermelho direto não.

Ao final procurei falar com o árbitro o motivo do vermelho direto para aprender para o futuro e ele não me disse. Fiquei perplexo. Estou aqui para promover o futebol, para promover o futebol brasileiro, aprender e até hoje não entendi o vermelho direto.

Puramente mentira as expressões que o árbitro disse. Não utilizo. Essas expressões são puramente brasileiras. Em momento nenhum minha intenção foi ofender ou desrespeitar a arbitragem.

Para mim o pior foi pedir para ouvir o motivo da expulsão e o árbitro se negar a me dizer. O que ele escreveu é falso", concluiu.

COPA DO BRASIL
Com isso, o treinador está liberado para comandar o time alviverde na final da Copa do Brasil. Verdão e Grêmio se enfrentam no dia 11 de fevereiro, às 21h30, na Arena do Grêmio.

A volta está prevista para o dia 17 de fevereiro, às 21h30, no Allianz Parque.