'Esquecidos' esperam ganhar chance com Felipão no Palmeiras

O Verdão vive um período de concentração, já que não tem mais jogos até o dia 25 de abril

por Agência Estado

São Paulo, SP, 13 (AFI) - Sem jogos no calendário até 25 de abril, o Palmeiras viverá nos próximos dias um período de descanso e avaliação dos jogadores. O momento será importante principalmente para quem procura espaço no elenco, como é o caso dos quatro jogadores que ainda não foram utilizados neste ano pelo técnico Luiz Felipe Scolari.

O lateral Fabiano, o zagueiro Juninho, o volante Matheus Fernandes e o meia Guerra aguardam chance para estrear em 2019. Embora o Palmeiras tenha testado 30 jogadores nas 20 partidas oficiais do ano, o quarteto não foi contemplado.

Desses jogadores, dois deles têm mais chances de atuar no restante da temporada. O clube considera Juninho e Matheus Fernandes como jovens com potencial para crescer. A comissão técnica fez questão de incluir o zagueiro de 24 anos na lista para o mata-mata do Campeonato Paulista por ser um defensor canhoto e com a versatilidade de poder atuar como lateral-esquerdo.

Matheus Fernandes chegou ao clube neste ano após deixar o Botafogo por cerca de R$ 15 milhões. O jogador de 20 anos está inscrito na Copa Libertadores e é o único dos sete reforços trazidos para a temporada que ainda não foi utilizado.

A chance de ser aproveitado pelo Palmeiras no restante do ano é pouco provável para Fabiano. O lateral enfrenta a concorrência de Mayke e Marcos Rocha na posição e teve recentemente uma negociação frustrada por empréstimo com a Chapecoense, clube que o revelou.

Fabiano foi o único jogador do elenco a não ter sido inscrito no Campeonato Paulista e na Libertadores. No ano passado, ele foi emprestado ao Internacional e chegou a tratar sobre um possível retorno. As negociações não deram certo.

Guerra também recebeu propostas para sair. Sem espaço no clube, o venezuelano despertou o interesse de times estrangeiros e teve como investida principal um contato do Cerro Porteño, do Paraguai. Por receber um salário elevado, cerca de R$ 350 mil, a negociação emperrou.

O jogador, escolhido o craque da Libertadores de 2016, foi relacionado por Felipão para apenas uma partida neste ano, contra o Junior Barranquilla, na Colômbia. Guerra não chegou a ser inscrito entre os 26 nomes que disputaram o Estadual.