BOMBA! Após briga, Antônio Carlos é demitido no Palmeiras

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 18 (AFI) - Antônio Carlos Zago não é mais o técnico do Palmeiras. O episódio entre ele e o atacante Robert, onde os dois teriam trocado socos no retorno da delegação palmeirense à cidade de São Paulo, após o empate por 0 a 0 com o Vasco, teria sido a gota d'água para o presidente do clube, Luiz Gonzaga Beluzzo. A informação foi oficializada pelo Verdão na manhã desta terça-feira.

Veja também:
Após xingar torcedor, Menino da Vila pede desculpas

Surpresa e campanha regular
De acordo com o repórter Leandro Quesada, da Rádio Bandeirantes de São Paulo, o agora ex-treinador do Verdão teria recebido a notícia através de seu empresário, Carlos Leite, no início da madrugada. Antonio Carlos estava em um evento em homenagem aos 30 anos do Grupo Traffic, parceiro do Palmeiras, deixando o local logo após saber de sua demissão.



Agora sem emprego, Antônio Carlos teve uma passagem relâmpago pelo Palmeiras, tendo comandado o time em 19 partidas, vencendo nove, empatando cinco e perdendo outras cinco. No total, teve um aproveitamento de 56,1% dos pontos, mas não conseguiu fazer o Verdão jogar bem.Cuca e Felipão
Com o cargo de técnico vago, o Palmeiras já cogita nomes. O mais forte deles é o do técnico Luiz Felipe Scolari, que não vai mais treinar o Bunyodkor, equipe que comandava no Uzbequistão. O treinador teve passagem vitoriosa no Palmeiras no final dos anos 90, conquistando a Libertadores em 1999 e a Copa do Brasil de 1998. Mas ele não viria agora, por causa da Copa do Mundo.

Além dele, nomes como o de Tite, Celso Roth e Cuca, recém-demitido no Fluminense, também são opções para o clube. A prioridade, porém, é a contratação de Felipão.

Outras opções
Se o objetivo é arrumar um técnico para esperar Felipão, algumas alternativas aparecem no mercado. Uma delas seria de Vágner Benazzi (foto), ex-Portuguesa, que como jogador atuou três anos no Palmeiras. E já acumula 23 anos de experiência como treinador.

Uma saída defendida por alguns dirigentes é a volta de Estevam Soares, que já dirigiu o Palmeiras, com sucesso, em 2005, deixando o clube em quinto lugar no Brasileirão. O seu último clube foi o Botafogo Carioca. Livrou o time do rebaixamento em 2009 e depois montou a base campeã carioca em 2010, então sob o comando de Joel Santana.