UFC: Dana White diz que Amanda Nunes não é valorizada como deveria por ser mulher

Segundo o gestor do UFC, as pessoas ainda insistem em reduzir os feitos surpreendentes de Amanda

por Agência Estado

Campinas, SP, 17 - Dana White, presidente do UFC, afirmou que a brasileira Amanda Nunes, detentora dos cinturões dos pesos-penas e dos pesos-galos, não é respeitada quanto deveria ser pelo fato de ser uma mulher. Segundo White, as pessoas ainda insistem em reduzir os feitos surpreendentes de Amanda.

"Acho que é por ela ser mulher, para ser sincero. (...) Acho que é parte da razão, mas está ficando difícil não a respeitar, especialmente depois de sua última atuação. Quando ela enfrentou Germaine de Randamie, muita gente disse, 'Ah, ela pareceu humana nesta luta'. O quê?!? Ela enfrentou a melhor trocadora de golpes de todos os tempos! E ganhou a luta! O que vocês querem dessa mulher? E nesta luta contra a Spencer, incrivelmente dura e durável, ela deu uma aula completa", argumentou, em entrevista à TMZ Sports.

Dana White nem sempre foi favorável a presença de mulheres dentro dos octógonos do UFC. Até 2013, o presidente da organização mantinha as portas da elite do MMA fechadas para o sexo feminino. Sete anos após a primeira luta entre mulheres na categoria, a opinião do mandachuva do UFC é bem diferente, principalmente quando se trata de Amanda Nunes.

Dana White diz que Amanda Nunes não é valorizada como deveria por ser mulher
Dana White diz que Amanda Nunes não é valorizada como deveria por ser mulher
"Ela está botando o sarrafo tão alto que vai ser muito difícil de outro atleta conquistar o que ela conquistou. Não esqueça: todo mundo só falava de quão assustadora e perigosa era a Cyborg. E ela absolutamente destruiu a Cyborg. Destruiu! Holly Holm, que também é uma das melhores de todos os tempos no boxe e no MMA, e quão facilmente ela a derrotou. E Holly Holm não cai fácil, ela enfrentou todas as melhores e Amanda Nunes a atropelou", disse White, sobre a "Leoa".

O UFC pensa em promover um duelo entre Amanda e Claressa Shields, bicampeã olímpica de boxe, mas o presidente da organização está com um pé atrás em relação à realização deste confronto, já que a boxeadora não poderia atingir o mesmo nível da brasileira no MMA.

"A parte difícil numa luta dessas é: o que elas vão lutar? Elas vão lutar boxe ou MMA? Eu sei que Claressa está treinando, mas ela não poderia possivelmente estar no nível da Amanda Nunes (no MMA). Toda vez que fazemos algo assim, é sempre eu mandando os meus lutadores para o boxe, entende? É difícil, temos que resolver isso. Eu gosto da Claressa, já me reuni com ela, com seu manager, e todo mundo está interessado, mas como fazemos isso?", questionou.

ANDERSON SILVA
White admitiu não ter planos para o brasileiro Anderson Silva. Recentemente, o ex-campeão foi desafiado por Anthony Pettis, ex-detentor do cinturão dos pesos leves, mas o presidente do UFC não se empolgou com a ideia de realizar um confronto.

"Eu não estou louco por isso. Você tem um cara que lutou de peso-pena e um cara que está nas conversas de que é o maior de todos os tempos no peso médio e que anda sempre com uns 95kg. Não é uma grande luta que realmente signifique alguma coisa. Eu gosto de fazer lutas que significam algo, então não estou tão empolgado com isso", explicou White, em entrevista à ESPN norte-americana.

Antes de ter sido desafiado por Pettis, Anderson intimou o aposentado irlandês Conor McGregor, mas a organização do UFC descartou a proposta. White afirmou que a volta do brasileiro aos octógonos não depende apenas de um fator.

"Eu não sei. Honestamente, não sei o que fazer com as duas lutas dele. Quando Anderson realmente estiver pronto para lutar, nós vamos sentar e ver o que fazer, e então vamos descobrir o que faz sentido para ele. Há muita coisa envolvida no processo de tomada de decisão com um Anderson Silva. A idade dele, o quanto ele recebe, tudo isso é importante", afirmou.

Anderson Silva não compete há mais de um ano. Sua última luta aconteceu em maio de 2019. Na ocasião, o "Spider" foi derrotado para o norte-americano Jared Cannonier, no UFC 237, no Rio de Janeiro.