Basquete: Estrela argentina mira volta às quadras pelo Vera Cruz Campinas

"Muito ruim ficar fora. Ninguém quer machucar, sinto falta de jogar, mas faz parte do esporte", disse Meli Gretter

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 03 (AFI) - Uma fratura no quinto metacarpo da mão direita, seguida de cirurgia para corrigir o problema, tirou da argentina Meli Gretter a chance de disputar as finais da Liga de Basquete Feminino (LBF) desta temporada, na qual sua equipe, o Vera Cruz, perdeu para o Sampaio.

Menos de um mês após o triste ocorrido, a armadora não esconde a saudade e sonha retornar às quadras o mais rápido possível.

"Muito ruim ficar fora. Ninguém quer machucar, sinto falta de jogar, mas faz parte do esporte, agora é reabilitar e voltar o quanto antes, mas sempre pensando em voltar 100%, sem antecipar os passos", planeja a atleta.

TRATAMENTO

Para voltar, Meli tem se tratado no Instituto Mood, em Campinas, com diferentes profissionais. E apesar de não gostar de ficar sem atuar, ela vê com otimismo sua recuperação.

"É um privilégio poder tratar aqui, com pessoas de qualidade. É claro que não é bom estar machucada, mas a estrutura do instituto facilita muita coisa", destacou a vice-campeã dos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru, na modalidade 3x3.

MEDALHA DE PRATA

Sobre a medalha de prata, aliás, a argentina se mostrou orgulhosa. "Foi uma experiência linda representar meu país e bastante satisfatório. A prata para nós foi como um ouro, porque lutamos na final contra os Estados Unidos, uma potência."

A fisioterapeuta Grazielle Barreto cuida do tratamento de Meli Gretter
A fisioterapeuta Grazielle Barreto cuida do tratamento de Meli Gretter
Uma das responsáveis pela reabilitação de Meli, a fisioterapeuta Grazielle Barreto elogiou o comprometimento da jogadora.

"Recebê-la é um prazer e facilidade imensa, porque tratar uma atleta com esse porte, foco e determinação acaba ficando fácil para conseguir o resultado. Para a consolidação óssea demora de quatro a seis semanas, aí depois vai mais do condicionamento dela. Como ela está trabalhando bastante condicionamento, acho que vai ser bem rápido, a recuperação está acima do esperado", explicou.

CAMPEÃ PAN-AMERICANA TAMBÉM SE TRATA EM CAMPINAS

Medalha de ouro no basquete dos Jogos Pan-Americanos, a pivô Aline Moura teve sua felicidade incompleta ao sofrer uma lesão de joelho que comprometeu o ligamento cruzado anterior e o menisco lateral, durante a competição.

Se preparando para a cirurgia de reconstrução dos ligamentos, ela também está se tratando no Instituto Mood e demonstra muita paciência para voltar.

"Cheguei de muleta, sem conseguir apoiar o pé no chão e hoje já consigo andar quase que normal, vejo muitos progressos. Vai demorar um pouco para voltar pras quadras, pretendo operar o quanto antes e depois acredito que ainda vão uns sete meses para retornar."

Um dos fisioterapeutas que está tratando Aline, Igor Zuchini se mostrou confiante. "Ela está se recuperando bem, tem muita disciplina e vontade, é uma atleta diferenciada. O prognóstico é bastante positivo."