F1: 'Schumacher foi um dos pais fundadores do sucesso da Mercedes', diz Wolff

"Ele exerceu papel crucial quando voltou e foi uma das pessoas que construiu a fundação para o nosso futuro sucesso", afirmou

por Agência Estado

Campinas, SP, 03 - Michael Schumacher é um dos grandes responsáveis pelo sucesso da Mercedes na Fórmula 1 nos últimos anos, afirmou o chefe da equipe, Toto Wolff, nesta quinta-feira. No dia em que o alemão completa 50 anos, Wolff fez questão de relembrar a trajetória do piloto na Mercedes e sua importância para a forte evolução da equipe desde seu retorno à F1 em 2010.

"Michael é um dos pais fundadores responsáveis pelo sucesso que tivemos nos últimos cinco anos. Não há outro piloto como ele e sua vasta experiência contribuiu tremendamente para o desenvolvimento do nosso time", declarou Wolff, em comunicado divulgado nesta quinta-feira.

Schumacher se aposentou pela primeira vez da F-1 em 2006, mas decidiu fazer seu retorno em 2010, justamente na volta da Mercedes à categoria. Nas três temporadas em que pilotou pela equipe, o heptacampeão faturou apenas um pódio, sem qualquer vitória.

Mesmo assim, Wolff vê o alemão como fundamental para o sucesso que o time alcançaria anos depois, com cinco títulos consecutivos, entre 2014 e 2018, tanto no Mundial de Pilotos quanto no Mundial de Construtores, com Nico Rosberg e, principalmente, Lewis Hamilton.

"Ele exerceu papel crucial quando voltou para a Fórmula 1 e foi uma das pessoas que construiu a fundação para o nosso futuro sucesso. Somos extremamente gratos a tudo o que ele fez por nós. Hoje, todos nós erguemos o nosso chapéu para você. Feliz Aniversário, Michael!", disse Wolff, que assumiu a função de chefe da equipe somente em 2013, quando Schumacher já estava fora do time.

Na sua avaliação, o alemão teve "tremendo impacto" em toda a Fórmula 1.

F1: 'Schumacher foi um dos pais fundadores do sucesso da Mercedes', diz Toto Wolff, chefe da Mercedes
F1: 'Schumacher foi um dos pais fundadores do sucesso da Mercedes', diz Toto Wolff, chefe da Mercedes
"Ele também teve tremendo impacto na Fórmula 1. Não apenas ele obteve um incrível recorde [de sete títulos], que ainda está para ser batido, mas também moldou e mudou o esporte para sempre", declarou.

"Como piloto, Michael levou a F-1 a um novo nível com sua atenção a detalhes e conhecimento técnico. Ele fez tudo com grande determinação, desde as conversas com os engenheiros até a preparação física. E estava sempre em busca de novas formas de melhorar a sua performance na pista", afirmou Wolff.

O atual chefe da Mercedes não foi o único a exaltar a carreira de Schumacher nesta quinta. Ross Brawn, seu chefe na Mercedes e também na Ferrari, em sua melhor época, apontou o impacto do alemão sobre a Fórmula 1.

"A disciplina, a determinação e a ética de trabalho de Michael conquistou a todos e elevou os padrões da equipe em saber o que podia e deveria ser feito", disse Brawn, referindo-se ao período em que trabalhou com ele na Mercedes, entre 2010 e 2012.

Além deles, outras equipes e pilotos homenagearam Schumacher nesta quinta em seus sites e perfis nas redes sociais. Schumacher completa 50 anos nesta quinta ainda sob a sombra do acidente de esqui sofrido em 29 de dezembro de 2013, nos Alpes franceses. Desde o episódio trágico, a família vem resistindo a informar sobre as condições de saúde do piloto, o que deu margem a diversas especulações nos últimos anos. A maioria não foi desmentida pela família.

Na quarta, véspera do seu aniversário, a família emitiu comunicado para anunciar o lançamento de um aplicativo de celular em homenagem ao piloto. E não fez maiores revelações sobre o seu estado de saúde. Disse apenas que Schumacher "está em boas mãos" e que todos estão fazendo o máximo por sua recuperação.

 
 
" />