Time do Paulista A2 doa R$ 1 milhão para criar programa 'Quarentena Sem Fome'

O Osasco Audax lançou um programa social "Quarentena sem fome" para apoiar cinco mil famílias com 20 mil cestas básicas

por Agência Futebol Interior

Osasco Audax, SP, 28 (AFI) - O Osasco Audax lançou um programa social "Quarentena sem fome" para apoiar cinco mil famílias com 20 mil cestas básicas. O clube afirmou que poderá atender as famílias por quatro meses e conta com o apoio da Prefeitura de Osasco, responsável pela logística e distribuição.

A iniciativa, encabeçada pela agremiação Audaxciosa, usará a verba incentivada disponível ao clube através do CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente) para adquirir kits de alimentação e distribuir aos necessitados, ao invés de investir os valores nos projetos de futebol, que serão bancados de outra forma.

O montante disponível permitirá ao Audax adquirir 20 mil cestas básicas que poderão atender 5 mil famílias durante o período de 4 meses. A Prefeitura Municipal de Osasco, sob gestão de Rogério Lins, será a responsável pela logística e distribuição dos alimentos ao público alvo: famílias com crianças entre 05 e 17 anos, em situação de vulnerabilidade social, participantes de programa sociais esportivos vinculados ao CMDCA.

Além do governo municipal, o Grêmio Osasco convidou Carmônio Bastos para auxiliar na implementação da iniciativa “Quarentena Sem Fome”. O vereador comentou a importância da solidariedade e agradeceu ao clube pela atitude.”Agradeço de coração ao sr. Mario Teixeira e à diretoria do Audax pelo convite. Golaço não se marca apenas dentro de campo”.

A diretora de comunicação do Osasco Audax, Ingrid Mantovani, destacou o papel social do clube na cidade de Osasco.

“O Audax é versado na solidariedade e na responsabilidade com a região. Dentre todos os projetos que já lançamos, o “Quarentena Sem Fome”é um dos mais urgentes e é com muita emoção que podemos finalmente anunciá-lo e almejamos que a iniciativa possa levar o socorro aos carentes que necessitam hoje de auxílio para existir”.