Paulista A3: Dupla do Osasco Audax valoriza adversário e reação em campanha

O meia Giovanni e o atacante Danrley anotaram três dos quatro gols das finais contra o Monte Azul

por Federação Paulista (FPF)

Osasco, SP, 06 - Acumulando história pela cidade de Osasco, os atletas Danrley e Giovanni mostraram motivos para se orgulhar de suas atuações do Audax nesta conquista do Paulistão A3.

Com o triunfo por 2 a 0 sobre o Monte Azul neste domingo (5), no estádio Otacília Patrício Arroyo, a dupla marcou três dos quatro gols da decisão e valorizam o adversário e a lealdade durane os 180 minutos.

FALA AÍ
"Foi uma final muito boa com dois times que sabiam jogar. Uma final bonita, sem pancadaria e os torcedores vieram para ver o espetáculo. Por isso, parabenizo o Monte Azul pelo acesso, que eles fizeram bom campeonato e mereceram", disse o atacante Danrley, autor do primeiro gol da manhã.

CHAVE DO SUCESSO
Relembrando as dificuldades, Giovanni acredita que a união foi um dos maiores motivos para a conquista do primeiro troféu do Audax na divisão.

"Agradecer a Deus por tudo que proporcionou, as dificuldades do dia a dia foi nos unindo. Time desacreditado, considerado time de Bezinha. A força da união ajudou a chegar onde estamos, tivemos boas atuações fora de casa, fomos para os jogos em desvantagem e conseguimos vencer", indica o meia, que anotou os dois gols do empate em Osasco.

Foto: Divulgação / Osasco Audax
Foto: Divulgação / Osasco Audax
CONCORDA?
Danrley seguiu o raciocínio do meio-campista e alertou para a rotina nos campos de treinamento e superação, que virou marca registrada da equipe durante a fase eliminatória.

"Fruto de trabalho, primeira fase com grande trabalho, quem pontua mais tem vantagem no mata-mata e sabíamos que não tínhamos. Fizemos nossos resultados fora, estavámos tranquilos, sabiamos que nosso time joga bem fora de casa, trabalhamos a semana toda visando o jogo. Não foi diferente e fizemos a nossa parte", analisa.

PRIMEIRO JOGO
Combinando um futebol ofensivo com toques de bola, o Audax mostrou capacidade para reverter vantagens dos rivais longe de seus domínios, sendo um dos pontos valorizados por Giovanni. O meio-campista acredita que o resultado da primeira final, no José Liberatti, concluiu para a conquista do título, repetindo o script dos jogos anteriores.

"Quando tomamos o empate em Osasco, quando fizemos o 2 a 0 e eles empataram, percebemos que ficariamos com o título. Percebemos que era melhor jogar com o empate do que com a vitória, assim não fomos com um pezinho acima e a vantagem. Foi assim com o Velo Clube, Barretos e Monte Azul. Três jogos que fomos em desvantagem e conseguimos a virar na casa deles", encerra.