ESPECIAL JOGOS OLÍMPICOS: Neymar brilha e o Brasil conquista medalha de ouro inédita

Futebol masculino é campeão pela primeira vez na história; meninas ficam na quarta colocação

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 21 (AFI) - Nos Jogos Rio 2016, a Seleção Brasileira conquistou o único título que faltava em sua galeria. O Brasil foi campeão olímpico pela primeira vez e o local não poderia ter sido melhor: o Maracanã, um dos estádios mais representativos para o futebol canarinho. A amarelinha ganhou um brilho dourado.

Na final, o selecionado brasileiro venceu a Alemanha, nos pênaltis (5 a 4) após ter empatado por 1 a 1 no tempo regulamentar e na prorrogação. O gol do título foi anotado pelo camisa 10 Neymar. O goleiro Weverton, que substituiu Fernando Prass, também foi um dos heróis da conquista.

Ligados ao futebol paulista, o lateral direito Zeca, os zagueiros Marquinhos e Rodrigo Caio, o volante Thiago Maia e os atacantes Neymar, Gabriel Jesus e Gabriel foram titulares e importantes para o ouro.

Neymar conduziu o Brasil ao título inédito (Foto: Divulgação/CBF)
Neymar conduziu o Brasil ao título inédito (Foto: Divulgação/CBF)

CAMPANHA
Foram seis jogos até o título. Na primeira fase, o Brasil estreou com um empate sem gols diante da África do Sul, no estádio Mané Garrincha em Brasília. No mesmo local, novo empate sem gols, mas desta vez diante do Iraque e os comandados de Rogério Micale precisariam vencer a Dinamarca no último jogo para não depender de nenhum resultado para avançar.

Contra os dinamarqueses, na Bahia, o Brasil desencantou e goleou por 4 a 0 para sacramentar a classificação às quartas de final. Na fase seguinte, Neymar comandou o time que venceu a Colômbia por 2 a 0, em São Paulo, e chegou à semifinal.

Atuando no Maracanã, o selecionado verde e amarelo deu show e anotou outro placar elástico, 6 a 0, diante de Honduras. A final seria diante da Alemanha, algoz da Copa do Mundo de 2014. Seria o reencontro dos times após a semifinal do mundial de 2014.

No confronto final, Neymar abriu o placar em cobrança de falta ainda no primeiro tempo. Na segunda etapa, Meyer empatou para os alemães. Na prorrogação ninguém modificou o placar e o campeão seria conhecido através da cobrança de penalidades máximas.

Tanto Brasil como Alemanha anotaram os quatro primeiros gols. Na última batida alemã, o goleiro Weverton defendeu o pênalti do atacante Peterson e Neymar ficou incumbido de ser o último cobrador brasileiro e não decepcionou. O camisa 10 levou o Brasil a inédita conquista do ouro olímpico.

FERNANDO PRASS
Antes da preparação, o goleiro palmeirense Fernando Prass voltou a sentir uma lesão no cotovelo direito, que havia operado em 2014, e foi cortado dos Jogos Olímpicos. No seu lugar o goleiro Weverton do Atlético Paranaense foi convocado e se tornou um dos heróis do inédito título.

PARTICIPAÇÃO FEMININA
As meninas do Brasil também merecem destaque. As comandadas de Vadão terminaram na quarta colocação e honraram a história vitoriosa da seleção brasileira. Na estreia, o Brasil venceu a China por 3 a 0. No segundo confronto nova goleada, 5 a 1, na Suécia. Fechando a primeira fase, as brasileiras empataram por 0 a 0 diante da África do Sul.

Pelas quartas de final, o Brasil suou, mas venceu a Austrália. Após empate no tempo normal e na prorrogação, a seleção venceu as australianas por 7 a 6 com a goleira Bárbara sendo uma das heroínas. Mas na semifinal, o feitiço virou contra o feiticeiro e o Brasil foi eliminado pelas suecas nas penalidades.

Na disputa de terceiro e quarto lugar, em São Paulo, Marta e companhia foram derrotas por 2 a 1 para o Canadá, mas a torcida reconheceu o esforço realizado e aplaudiu de pé as jogadoras.

FONTE: FPF