STJD marca data de julgamento da invasão do Náutico após acesso na Série C

O clube pernambucano pode perder até dez mandos de campo pelo o ocorrido

por Agência Futebol Interior

Recife, PE, 10 (AFI) - O Náutico será julgado nesta sexta-feira, às 10h, na sede do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por invasão de campo na partida que decretou o acesso do clube à Série B do Campeonato Brasileiro. O Fato ocorreu no dia 8 de setembro, quando derrotou o Paysandu nos pênaltis. Os torcedores pularam para o gramado para festejar a classificação junto com o elenco.

A invasão da torcida infringiu o artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CNJD): "Deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir desordens em sua praça de desporto; invasão do campo ou local da disputa do evento desportivo; lançamento de objetos no campo ou local da disputa do evento desportivo.

A multa varia de R$ 100 a R$ 100 mil. Quando a desordem, invasão ou lançamento de objeto for de elevada gravidade ou causar prejuízo ao andamento do evento desportivo, a entidade de prática poderá ser punida com a perda do mando de campo de uma a dez partidas, provas ou equivalentes, quando participante da competição oficial.

Torcida do Náutico invadiu o campo na conquista do acesso
Torcida do Náutico invadiu o campo na conquista do acesso
SÚMULA
O episódio foi relatado pelo árbitro Leandro Vuaden na súmula da partida, assim como o arremesso de latas de cerveja em direção a jogadores do Papão.

“Após o término das cobranças dos tiros penais, para definir o vencedor da partida, conforme o regulamento, houve uma invasão generalizada da torcida do Náutico, para dentro do campo de jogo. Não houve hostilidade com a equipe de arbitragem”, relatou Vuaden a respeito da invasão.

“Aos 20 minutos do segundo tempo, um torcedor não identificado do Náutico, localizado na arquibancada atrás do gol, arremessou na direção dos atletas do Paysandu, os quais estavam na área de aquecimento, duas latas de cerveja (vazia) e um bloco de gelo. Os objetos lançados não atingiram os jogadores”, diz o trecho sobre o arremesso de objetos.

Após o duelo contra o Paysandu, o Náutico eliminou o Juventude na semifinal, novamente nos pênaltis, e depois bateu o Sampaio Corrêa na grande decisão.