Série B: Roberto Fernandes não joga a toalha, mas diz: "estou no meu limite"

Sob seu comando, o Timbu apresentou uma melhora e acumulou quatro vitórias, além das seis derrotas

por Agência Futebol Interior

Recife, PE, 09 (AFI) - A situação do Náutico é bastante delicada e a permanência na Série B do Campeonato Brasileiro fica cada vez mais difícil. O técnico Roberto Fernandes reconhece isso e acredita que chegou no seu limite, mas não joga a toalha: "enquanto há vida, há esperança".

"Estou no meu limite. Quem acha que pode fazer melhor, é só chegar. Eu estou tentando extrair o melhor. Não adianta ficar em rede social, através de um celular, pedindo para eu ficar colocando fulano. Vem aqui ver. Estou no máximo, com jogadores comprometidos", afirmou o treinador.

O técnico Roberto Fernandes reconheceu que a situação do Náutico na Série B é complicada
O técnico Roberto Fernandes reconheceu que a situação do Náutico na Série B é complicada

Roberto Fernandes assumiu o Timbu no início de agosto, quando o time amargava a lanterna da Série B e tinha apenas uma vitória, além de cinco empates e 11 derrotas. Sob seu comando, o Náutico apresentou uma melhora, com quatro vitórias e seis derrotas.

"É um trabalho demasiadamente difícil. O primeiro turno que o Náutico fez foi pífio e pagamos por isso agora. A equipe só veio ganhar a primeira em casa no nono jogo, já sob o meu comando. Isso não existe. Não adianta ficar externando problemas. Sou pago para tentar soluções e estamos fazendo isso dentro do nosso limite. Mas uma coisa posso garantir: enquanto há vida, há esperança", finalizou Fernandes.

Na penúltima colocação, com 23 pontos, o Náutico tem 11 a menos que o Luverdense, primeiro fora da zona de rebaixamento. O Timbu volta a campo no sábado, contra o Guarani, às 19 horas, no Lacerdão, em Caruaru, pela 29ª rodada.