Cianorte-PR 1 x 2 Mogi Mirim - Guto se despede com acesso histórico!

Com o acesso garantido, o técnico deixa o Sapão para assumir a Ponte Preta

por Agência Futebol Interior

Cianorte, PR, 23 (AFI) - O Mogi Mirim voltará a disputar a Série C do Campeonato Brasileiro depois de oito anos. Em uma verdadeira batalha, o Sapão conquistou o acesso ao bater o Cianorte por 2 a 1, no tempo normal, e pó 4 a 2, nos pênaltis, na tarde deste domingo, no Estádio Albino Turbay, em Cianorte (PR), pelas quartas-de-final da Série D. (FOTO - Andye Iore)

Este também foi o jogo de despedida do técnico Guto Ferreira do Mogi. Nesta semana, ele foi contratado pela Ponte Preta e o anunciou oficial aconteceu logo, após o empate da Macaca com o Vasco, neste domingo. O treinador deixa o clube com a missão cumprida e, agora, comanda os campineiros nas últimas 12 rodadas do Brasileirão.

Depois de ter perdido em casa, por 2 a 1, o time paulita entrou pressionado na volta. Afinal, tinha que vencer por dois gols de diferença ou então por um gol, desde que marcasse no mínimo três. Como o resultado foi igual, a disputa foi para os pênaltis.

De volta Série C, algo eu não acontecia desde 2005, o Mogi tenta conquistar o título. Nas semifinais, o clube vai encarar o Crac-GO, que eliminou o Friburguense-RJ. As datas e horários serão definidos, nesta segunda-feira. Por ter melhor campanha, os goianos decidem em casa.

Sapão surpreende
O Mogi Mirim começou o jogo bem à vontade. Grande destaque nos primeiros minutos, o meia Roni foi o grande responsável pela abertura do placar em favor dos paulistas. Aos 14 minutos, ele foi derrubado na área e o árbitro assinalou pênalti. Na cobrança, o próprio jogador mandou no meio do gol para marcar.

Passado o nervosismo inicial, o Cianorte conseguiu equilibrar as ações do jogo. Mesmo assim, sentiu grandes dificuldades para chegar à meta o goleiro Alex Alves. Curiosamente, o time da casa melhorou quando seu melhor jogador, o meia Thiago Alves, saiu contundido para a entrada de Serginho.

Apesar de melhorar, o paranaenses pouco assustaram Alex Alves. Para piorar, o Mogi continuou chegando com perigo, explorando principalmente a velocidade do meia Roni. O jogador foi a principal válvula de escape do time mogimiriano.

Sapão forte
Na segunda etapa, o Cianorte voltou mais ligado na partida e começou buscando mais o ataque. E o time precisou de somente seis minutos para conseguir aquilo que não fez em todo primeiro tempo. Serginho cobrou escanteio na área e, após desvio, a bola sobrou nos pés do atacante Diego Dedoné só completar.

A festa do time da casa, entretanto, durou pouco. Isso porque o Mogi voltou a assumir a dianteira no placar, aos 13 minutos. Após cobrança de falta na área, o meia João Paulo subiu para desviar de cabeça, no canto direito do goleiro Fabrício.

O placar de 2 a 1 levaria o duelo para os pênaltis e, partir de então, os dois times pareciam não querer se arriscar mais. O jogo ficou monótono. A única boa chance foi para os donos da casa. O volante Paulinho arriscou um chute, pegou mal, mas a bola sobrou com Cleiton. O meia-campista finalizou e o Alex Alves salvou.

Penalidades
Nas cobranças de pênaltis, o Mogi mostrou um grande aproveitamento. Seus quatro batedores estufaram as redes: Franciel, Juninho, Tardelli e Roni. Já o Cianorte só converteu duas das suas quatro cobranças. Valdir e Netinho marcaram, mas Alex Alves defendeu a batida de Paulinho e Cleiton mandou para fora.

Ficha Técnica

Fase
Quartas de final
Rodada
2ª rodada
Data
23/09/2012
Horário
15h30
Local
Estádio Albino Turbay, em - Cianorte (PR) (PR)
Árbitro
Devarly Lira do Rosário (ES)

Renda
R$ 30.000,00
Assistentes
Ângelo Rudimar Bechi (SC) e Josué Gilberto Lamin (SC)

Público
1.700 pagantes (1.716 total)
Cianorte-PR
Fabrício;
Jackson, Alexandre Luz, Valdir e Tiago Silva (Netinho);
Jovane, Cleiton, Paulinho e Thiago Santos (Serginho);
Diego Dedoné e Reinaldo (Henrique).
Técnico: Paulo Turra
Mogi Mirim-SP
Alex Alves;
Morelândia, Luis Gustavo, Maurão e Piauí (Jéferson);
Juninho, Val, Ítalo (Tardelli), João Paulo e Roni;
Nando (Franciel).
Técnico: Guto Ferreira