Paulista A3: Presidente da Matonense, Chicão exalta apoio da torcida nas competições

Ciente de que a cidade abraçará o time mais uma vez, dirigente tenta viabilizar o maior número de assentos no Dr. Hudson Buck Ferreira

por Maury Júnior - Matão Urgente - matão

Matão, SP, 11 (AFI)- No próximo sábado, a Matonense realiza um jogo treino em sua caminhada ma tentativa de conquistar o acesso na Série A3 do Campeonato Paulista, no Estádio Municipal Tenente Carriço, em Penápolis, contra a Penapolense. Depois, volta a atuar fora de casa contra o Barretos, no Estádio Fortaleza.

Enquanto isso trabalhadores aceleram para deixar o Estádio Dr. Hudson Buck Ferreira em ordem para a vistoria final. Os técnicos da Federação Paulista de Futebol apontaram várias deficiências e a diretoria corre para deixar tudo em ordem.

O presidente Francisco Galvão, o popular Chicão, garante que tudo estará em ordem até a vistoria final.

"Estamos nos dedicando 24 horas por dia para que tudo esteja como foi solicitado. Ainda não dará tempo para liberar os 9.000 lugares, mas vamos tentar o máximo de espaço", afirma.

Presidente da Matonense fala sobre ajustes feitos para vistoria no estádio
Presidente da Matonense fala sobre ajustes feitos para vistoria no estádio
Segundo Chicão, Matão é uma cidade onde o torcedor prestigia sua equipe.
"Quando estivemos na B1 realizando boa campanha, a média ultrapassou os 3.000 torcedores
por jogo em casa. Isso é uma demonstração de que a Terra da Saudade adora futebol’, conclui.

DIFICULDADE
O maior problema para a liberação das arquibancadas de concreto são os espaços abaixo dos assentos. Praticamente são 6.500 espaços que seriam usados pelos torcedores. "Mas, se colocar concreto fechando, a estrutura vai suportar?", questiona Chicão.

QUATRO LINHAS
Enquanto isso o técnico João Martins segue na preparação da equipe, mesmo que em pouco tempo de preparação.

"O mais importante é que a maioria dos jogadores jogou junto no ano passado e isso é uma boa vantagem. Vamos tentar buscar o time ideal nesses amistosos", analisa.

Para o diretor do GAM (Grupo de Apoio à Matonense), Pedro Leonardo, quando você entra em uma competição é para alcançar o objetivo, que é o acesso. “Neste ano, com seis times caindo vai ser mais tenso, porém quem souber tirar proveito pode chegar ao topo”.

aaa