Após perda de patrocínio e protestos, Operário-VG 'revê contratação de Bruno'

A clube emitiu um documento oficial, onde afirma que 'está revendo a possível contratação do goleiro Bruno Fernandes'

por Agência Futebol Interior

Várzea Grande, MT, 22 (AFI) - Depois de praticamente estar acertado com o Operário-VG, o goleiro Bruno pode não reforçar o time no Campeonato Mato-Grossense. Com a perda de patrocínios e vários protestos, a diretoria do clube recuou e praticamente descartou a contratação do ex-jogador do Flamengo.

A clube emitiu um documento oficial, onde afirma que 'está revendo a possível contratação do goleiro Bruno Fernandes'. De acordo com a diretoria, Bruno sequer foi para a cidade e as negociações devem ser mesmo encerradas.

Assim que o negócio foi fechado, o Conselho dos Direitos da Mulher de Mato Grosso soltou uma nota de repúdio e organizou protestos.

O clube também teve o contrato suspenso com a Cooperativa Sicredi, patrocinadora do Campeonato Mato-Grossense.

O ano de 2020 é um ano importante para o Operário-VG, pois conta com calendário cheio com as disputas do Campeonato Mato-Grossense, Copa Verde, Copa do Brasil e a Série D do Campeonato Brasileiro.

Bruno, de 35 anos, foi condenado pela Justiça mineira a mais de 20 anos de prisão pelo sequestro, assassinato e ocultação de cadáver da ex-namorada e modelo Eliza Samudio, ocorrido em 2010. Nesse momento, ele cumpre sua pena no regime semiaberto. Antes da condenação, havia defendido Atlético-MG e Flamengo.

A decisão da diretoria foi tomada após protestos que aconteceram na última terça-feira, em frente ao estádio municipal Dito Sousa, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá. As manifestações ocorreram antes e durante a realização do jogo do Operário contra o Poconé, válido pelo Campeonato Mato-Grossense. O ato reuniu, segundo a Polícia Militar, 70 pessoas. De acordo com a organização do protesto, 400 manifestantes estavam no local.