MT: Mixto apresenta ex-atacante do Palmeiras como supervisor

por Agência Futebol Interior

Cuiabá, MT, 01 (AFI) – O Mixto fechou contrato com o mais novo supervisor geral do clube, Luis Carlos Tóffoli, o Gaúcho (foto). Ele assumiu o cargo nesta segunda-feira, e fará dentro do clube todo o trabalho de acompanhamento diário da equipe, logística, patrimônio e novas instalações. A decisão foi tomada pelos membros da Associação dos Amantes do Futebol e Amigos do Mixto (Afam) com anuência do presidente da entidade, Eder Moraes e do presidente do clube, Marcio Pardal.

Leia mais:
MT: Mesmo sem vencer, Mixto segue confiante na classificação

“A partir de agora, ele será o responsável por qualquer demissão de jogadores ou comissão técnica, assim como as contratações. A comissão técnica deixa de ter autonomia sobre as contratações. A decisão de quem fica ou saí é do gaúcho, homologada pela Afam”, afirmou o presidente da Afam, Eder Moraes.
Gaúcho terá todos os problemas atuais do Mixto sob sua responsabilidade e caberá a ele responder pelo clube a partir desta segunda-feira. Inclusive o atendimento a mídia, no caso de entrevistas e questionamentos.

A apresentação do supervisor geral do Alvinegro para a comissão técnica do clube acontece na noite de hoje. “Vamos nos reunir e ter uma conversa franca para resolver a situação incômoda pela qual o clube está passando”, explicou Gaúcho. Tóffoli disse se sentir muito honrado com o convide e garante responder a altura à responsabilidade que recebeu.

“Minha vida é o futebol, desde meus 15 anos eu trabalho com isso, é o que eu amo fazer e o que sei fazer. Já fui campeão no Mato Grosso e quero levar a vitória ao Mixto e elevar o clube a série C, esse é meu primeiro objetivo”, concluiu. O Mixto volta a reapresentar na manhã desta terça-feira (02). A partir de então, os treinos e o desempenho dos jogadores estarão sob avaliação de Gaúcho. Nenhuma nova dispensa foi realizada até agora.

Como jogador
Gaúcho começou a carreira nos juniores do Flamengo. Depois ele jogou no XV de Piracicaba (SP), no Grêmio, no Verdy Kawasaki (Japão) e no Santo André (SP), antes de atuar no alviverde de Palestra Itália. Foi centroavante do Palmeiras, em 88 e 89, e do Flamengo, de 89 a 93. Os seus gols de cabeça ajudaram a levar o rubro-negro ao título do Campeonato Brasileiro de 92, no time liderado por Júnior.