Campeão, Luverdense se torna máquina de revelar jogadores

Presidente Helmute Lawisk diz que clube prefere a qualidade ao invés de revelar quantidade

por Agência Futebol Interior

Lucas do Rio Verde, MT, 19 (AFI) - A delegação do Luverdense, após conquistar o inédito e invicto título da Copa Verde, foi recebida com muita festa na cidade de Lucas do Rio Verde. A cidade mato-grossense abraçou o LEC e não é de hoje. Em seus 13 anos de história, o Luverdense já levou muita alegria a população da cidade com o tricampeonato estadual em 2016, além de ótimas campanhas na Série B do Brasileiro e Copa do Brasil.

A identificação do clube com a cidade de cerca de 60 mil habitantes também passa por outro fato. O LEC tem utilizado cada vez mais jogadores formados na própria base. Na conquista da Copa Verde, por exemplo, o clube mato-grossense contou com sete jogadores formados em casa.

“São garotos com qualidade e que vêm entrando nos jogos. Não trabalhamos visando quantidade, mas, sim, a qualidade. O trabalho está sendo feito de uma forma séria e correta e o número de jogadores vem crescendo”, disse presidente Helmute Lawisk.

Na final diante do Paysandu, no Magueirão, em Belém, o Luverdense tinha no banco e no jogo o ala direito Gabriel Passos (21), zagueiro Rafael (18), volantes Ricardo (23) e Kazu (17), meia Alaor (20) e os atacantes Café (23) e Rafael Silva (21). Esse último, aliás, fez o gol de pênalti que deu título ao Luverdense.

“É uma grande safra de atletas que, com certeza, irão buscar seu espaço na equipe. Muito deles já vêm entrando como titulares. Maior exemplo é o Kazu que tem apenas 17 anos e teve sua segunda convocação para Seleção Brasileira”, disse presidente.

Revelação do LEC, Kazu tem chamado a atenção dos grandes clubes brasileiros após se destacar no Luverdense e na Seleção Brasileira de base. São Paulo, Grêmio e Cruzeiro são alguns dos clubes interessados no garoto.

aaa