Série B: Goleiro do Londrina é apenas advertido por expulsão contra Fortaleza

Vagner foi expulso após derrubar o adversário Ricardo na área e receber o segundo amarelo na partida

por Agência Futebol Interior

Londrina, PR, 03 (AFI) - O Londrina teve o goleiro Vagner advertido no Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol. Denunciado por ato desleal ou hostil em expulsão na partida contra o Fortaleza, o arqueiro foi julgado e punido com a pena mínima pelos Auditores da Segunda Comissão Disciplinar. Proferida por maioria dos votos, a decisão cabe recurso.

Pela Série B, Vagner foi expulso após derrubar o adversário Ricardo na área e receber o segundo amarelo na partida. O goleiro foi denunciado pela Procuradoria por infração ao artigo 250 por cometer ato desleal ou hostil.

Diante da Comissão, o advogado Eduardo Vargas apresentou prova de vídeo e em seguida sustentou o pedido de absolvição de Vagner.

Vagner foi apenas advertido pelo STJD - Gustavo Oliveira/Londrina
Vagner foi apenas advertido pelo STJD
“A expulsão por dupla advertência não há o que se falar. As imagens são claras. Fizemos questão de juntar junto com o vídeo a regra 12 do futebol e a alteração que houve no que tange a aplicação do cartão amarelo. A regra 12 fala dos momentos em que devem ser aplicados os cartões amarelos e vermelhos. Retardar o reinício do jogo se amolda ao primeiro amarelo aplicado ao goleiro. A atitude antidesportiva prevista no inciso 6 é exemplificada e , nesse caso, o atleta nem amarelo deveria ter levado por ter sido marcado pênalti. Falta ocorreu, foi imprudente, mas a regra é clara que diz que exceto quando for marcado o pênalti. A equipe sofreu o gol, sofreu a virada e no jogo seguinte o atleta não pode atuar. A defesa pede a absolvição”, defendeu.

Apesar do pedido, o Auditor Francisco Honório, relator do processo, entendeu que a infração está configurada. “Acho que usou de força desproporcional . Mantenho a denúncia no 250 e aplico a pena mínima substituindo pela advertência, face a primariedade do atleta”, justificou.

O Auditor Marcelo Vieira divergiu e acompanhou o entendimento da defesa para absolver Vagner. Já a Auditora Sônia Frúgoli e o Presidente em exercício, Auditor Felipe Diego Barbosa, acompanharam o relator para advertir o goleiro do Londrina.

 
 
" />