Libertadores: Flamengo vira a chave após Taça Guanabara e busca gordura

Mengão encara o Unión La Calera, do Chile, no Maracanã

por Agência Estado

Campinas, SP, 27 - A conquista da Taça Guanabara, diante do Volta Redonda, no último sábado, pelo Campeonato Carioca, já virou estatística. O foco agora é nesta terça-feira, quando o Flamengo volta a campo para encarnar o "espírito de Libertadores" contra o Unión La Calera, às 19h15, no Maracanã, e seguir como líder isolado do Grupo G.

Após a boa estreia com a vitória de 3 a 2 sobre o Vélez, na Argentina, o time carioca vai quase completo diante dos chilenos.

Foto: Alexandre Vidal/Flamengo
Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

Logo após o triunfo de sábado, no Maracanã, o técnico Rogério Ceni falou da responsabilidade de saber disputar e triunfar em meio a competições simultâneas. "O domingo é para comemorar e a segunda-feira vamos trabalhar pensando na Libertadores", afirmou o treinador logo após a conquista da Taça Guanabara.

O treino da segunda serviu para avaliar as condições dos titulares que atuaram no sábado. "Com a recuperação do Gerson, do Arão e do Gabigol vamos poder utilizar o elenco completo no treino (de segunda). Aí já vamos trabalhar em cima do sistema de jogo deles", disse.

Com três pontos, o time carioca está isolado em primeiro lugar. Unión La Calera aparece com um ponto no segundo posto ao lado da LDU. Já o Vélez amarga a lanterna do grupo após derrota na estreia. E Rogério não quer perder a chance de garantir a liderança isolada tendo como palco o Maracanã. Sem esperar jogo fácil, ele já analisou a forma de atuar do Unión La Calera.

"É uma equipe que vem bem no campeonato chileno e fez um bom jogo contra a LDU. Inclusive mereceu a vitória. Eles têm jogadores bem técnicos, rápidos e que sabem tocar a bola. Tenho certeza de que vai trazer dificuldades para todos os times do grupo. Vai ser uma chave mais equilibrada do que todos imaginavam", afirmou o treinador.

Um velho conhecido do futebol brasileiro vai merecer atenção especial. O ex-palmeirense Valdivia, 37 anos, pode ser usado no decorrer da partida para dar mais criatividade ao time. O atacante Andrés Vilches, autor dos dois gols no empate de 2 a 2 contra a LDU, também é outro nome que chama a atenção do treinador.

Sem problemas para escalar a equipe, Rogério espera solucionar a fragilidade da defesa tanto para se recompor quando é atacada, quanto nas jogadas de bola aérea. Na Argentina, o time carioca foi vazado duas vezes e o problema voltou a acontecer contra o Volta Redonda no sábado.

"Infelizmente, mesmo em cima do que trabalhamos, sofremos o gol. Faz parte. Temos que continuar repetindo, trabalhando outras vezes. Só a repetição vai fazer com que a gente melhore", afirmou o treinador.

A equipe que vai a campo não deve ter surpresas. A dúvida maior estava quanto ao posicionamento de Willian Arão. O treinador, no entanto, não quis definir se o atleta segue na zaga ou retorna à posição de volante. Rodrigo Caio, que se recupera de uma fibrose muscular e ficou ausente do jogo pelo Estadual, também não tem retorno garantido.

Já os laterais Isla e Filipe Luís retornam após descanso no final de semana. Presente na final da Taça Guanabara, Diego Alves também está escalado.

Gerson, Everton Ribeiro e Arrascaeta completam o meio-campo. Na frente, Gabigol, que teve a parceria de Pedro no Estadual, volta a fazer dupla com Bruno Henrique.